Os últimos neandertais enfeitavam-se com as garras da águia-imperial-ibérica

Numa gruta da Catalunha encontrou-se uma falange de águia com 39 mil anos e marcas de corte. É a primeira prova da “joalharia” neandertal na Península Ibérica.

Fotogaleria
Representação da técnica utilizada pelos neandertais para separar a garra da falange na pata de um abutre Antonio Rodríguez-Hidalgo
Fotogaleria
Falange de águia-imperial-ibérica com marcas de corte encontrada na gruta Foradada Antonio Rodríguez-Hidalgo

Os sedimentos no local arqueológico da Cova Foradada – uma pequena gruta em Calafell (Catalunha) – mostram que antepassados humanos ocuparam aquele refúgio de forma esporádica, provavelmente para descansar durante a caça ou fabricar ferramentas. Numa das camadas rochosas da gruta, já tinham sido encontrados vestígios de instrumentos que terão sido utilizados por neandertais. Agora, na mesma camada, uma equipa de investigadores descobriu as ossadas de uma águia-imperial-ibérica, que incluem uma falange da pata esquerda com 12 marcas de corte.