Crítica

Regresso à casa de lava

Pedro Costa condensa reminiscências do“ciclo das Fontainhas”. Vitalina Varelatorna-se “museográfico”.

Foto
Se os protagonistas masculinos de Costa tendem à errância, Vitalina parece ter um poder centrípeto, mais ancorado, o de fazer os outros gravitarem à sua volta

Vitalina Varela é como uma personagem que tivesse chegado directamente da Casa de Lava, o filme cabo-verdiano de Pedro Costa que esteve na origem do “ciclo das Fontainhas” iniciado em Ossos e concentrado na diáspora cabo-verdiana. Ao contrário das personagens que Costa filmou depois desse título (em 1995), Vitalina corresponde a alguém que ficou por lá. Nunca se juntou ao marido, que veio viver para Portugal, e esteve mais de 30 anos a adiar essa viagem ou essa mudança.