Carris prevê ter mais 11,6 milhões de passageiros em 2020

Empresa espera chegar ao fim do próximo ano com forta de 693 autocarros. Prolongamento do eléctrico 24 ao Cais do Sodré também está prometido.

Foto
Miguel Manso

A Carris prevê ter mais 11,6 milhões de passageiros em 2020 do que no fim deste ano. A empresa lisboeta, desde 2017 na esfera municipal, conta transportar 127,4 milhões de pessoas no próximo ano e espera que a frota já esteja próxima dos 700 autocarros.

No Plano de Actividades e Orçamento (PAO) para 2020, que esta quinta foi votado na câmara e ainda será discutido na assembleia municipal, a Carris assume que este aumento esperado de passageiros é o mais expressivo desde que a empresa passou para a gestão da autarquia e que isso se deve, em grande medida, à redução do preço dos passes que se verificou a meio de 2019.

A transportadora revela que tinha 611 autocarros no fim de 2018 e que espera terminar este ano com 666 (mais 55). Daqui a um ano a expectativa é que a frota atinja os 693 veículos e, em 2023, os 736. Quanto a eléctricos só deve haver reforços no segundo semestre de 2021, quando chegarem os primeiros quatro de um lote de 15 encomendados este ano. A frota de eléctricos, actualmente nos 56 veículos, assim se deve manter no próximo ano, crescendo em 2021 para 60 e em 2022 para 81.

No orçamento para 2020 a fatia maior de despesa está reservada à compra e reparação de autocarros (26,9 milhões), havendo ainda 1,5 milhões para reparação de eléctricos e 1,3 milhões para investimento em linha férrea.

O PAO, que não apresenta novidades de grande monta, revela ainda assim que deverá verificar-se no próximo ano “o prolongamento da linha de eléctrico 24 com ligação da Praça Luís de Camões ao Cais do Sodré”, que chegou a ser equacionada para 2019. Prevê-se também, segundo o documento, “iniciar a implementação de um sistema de corredores bus de alto desempenho, estando prevista a sua concretização na Estrada de Benfica, na Junqueira e em Alcântara”.