Preços “congelados” em Outubro, depois de três meses de inflação negativa

A taxa de variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor (IPC) terá sido 0,0% em Outubro, ou seja, sem variação, quando tinha sido negativa em -0,1% em Setembro.

Queda de preços parece estar a inverter-se
Foto
Queda de preços parece estar a inverter-se Rui Gaudencio

A taxa de variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor (IPC) terá sido 0,0% em Outubro, ou seja, sem variação, quando tinha sido negativa em -0,1% em Setembro revelou esta quinta-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE). Este valor mostra uma recuperação dos preços, face à tendência dos últimos três meses, dado que também em Julho e em Agosto a variação foi negativa.

O indicador de inflação subjacente (índice total excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos) situou-se em 0,3% (taxa superior em 0,1 pontos percentuais à registada no mês anterior).

De acordo com os dados preliminares do INE, a taxa de variação homóloga do índice relativo aos produtos energéticos terá diminuído para -4,5% (-3,8% em Setembro).

A variação mensal do IPC terá sido 0,1%, quando em Setembro o valor apurado foi 1,1% e em Outubro de 2018 tinha sido -0,1%. Assim, a estimativa do INE aponta para uma variação média nos últimos doze meses de 0,4%, taxa inferior em 0,1 pontos percentuais à registada no mês anterior.

O Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português terá registado uma variação homóloga negativa, em -0,1% (-0,3% em Setembro).