Carlos Guimarães Pinto abandona liderança da Iniciativa Liberal

O líder da IL diz que a sua missão está cumprida no “dia histórico” em que a força política se estreou com uma intervenção no parlamento.

,Iniciativa liberal
Foto
LUSA/MIGUEL A. LOPES

O líder da Iniciativa Liberal (IL), Carlos Guimarães Pinto, anunciou esta quarta-feira que abandona a liderança do partido, considerando que a sua missão está cumprida no “dia histórico” em que a força política se estreou com uma intervenção no parlamento. “A minha missão no partido ficou hoje cumprida e termina aqui”, escreveu na sua página do Facebook.

“Não me podem pedir que continue a sacrificar a minha vida por uma causa. Foi um ano intenso em que tive que abdicar de muito para fazer este caminho. Fi-lo numa altura em que ninguém o teria feito. Criei as condições para que outros o possam fazer daqui para a frente com recursos que eu nunca tive e, espero eu, menos sacrifícios pessoais. Não me podem exigir mais”, referiu Guimarães Pinto na rede social Facebook.

De acordo com o presidente demissionário da IL, “o partido começa agora uma nova fase, com um novo rosto e uma estratégia que tem necessariamente de ser repensada face às novas circunstâncias”. "Fizemos uma reorganização operacional, o necessário acerto ideológico e conseguimos que a Iniciativa Liberal se tornasse num instrumento de divulgação positiva do liberalismo (e não o oposto como muitos antecipavam). Missão cumprida”,

A IL elegeu João Cotrim Figueiredo deputado à Assembleia da República pelo círculo de Lisboa, nas eleições legislativas, em que Guimarães Pinto liderou a lista do partido pelo Porto. A publicação de Guimarães Pinto começa por aludir positivamente à intervenção de Cotrim Figueiredo no debate do programa de Governo no parlamento.

“Hoje pela primeira vez em democracia ouvimos no parlamento a voz de um deputado eleito por um partido liberal. A resposta azeda de António Costa demonstrou o quanto ele temia o momento em que teria uma efectiva oposição ideológica no parlamento. Tenho a certeza de que, com a distância necessária, o dia de hoje será visto como histórico”, escreve.

O agora ex-líder da IL não revela quem será o novo rosto do partido, mas afirma que “começa agora uma nova fase, com um novo rosto e uma estratégia que tem necessariamente de ser repensada face às novas circunstâncias”.

“O desafio da futura liderança da Iniciativa Liberal não é fácil. Será um desafio crescer num ambiente em que tantos desejam crescer ou recuperar o tamanho que outrora tiveram. Mas crescer a partir daqui não é um desafio mais difícil do que era há um ano eleger um deputado. Hoje o partido tem ao seu dispor mais recursos, um rosto com exposição mediática e uma marca clara e distintiva na sociedade portuguesa”, concluiu Carlos Pinto Guimarães.