Metade dos directores dos museus e monumentos da DGPC está em regime de substituição

Pelo menos sete destes dirigentes mantêm-se em funções neste regime há um ano e meio ou mais, quando o prazo-limite é, nestes casos, de apenas 90 dias. Direcção-Geral do Património Cultural promete lançar os primeiros concursos em breve.

Amadeo de Souza Cardoso em exposição no Museu Nacional de Soares dos Reis, cuja directora está há quase três anos à espera que a tutela abra concurso
Foto
Amadeo de Souza Cardoso em exposição no Museu Nacional de Soares dos Reis, cuja directora está há quase três anos à espera que a tutela abra concurso Nelson Garrido

A Direcção-Geral do Património Cultural (DGPC), entidade que tem sob a sua gestão directa 23 museus e monumentos, cinco deles património mundial e 15 com estatuto de museu nacional, mantém metade dos directores destes equipamentos em regime de substituição e pelo menos um terço do total em situação irregular.