Morte de queixoso livra Kevin Spacey de mais um caso de agressão sexual

Ministério Público de Los Angeles decidiu deixar cair acusação após morte “prematura” do homem que denunciou o actor à polícia em 2016 e tinha dois processos contra Spacey a decorrer.

,Hollywood
Foto
Kevin Spacey PAUL BUCK/epa

O gabinete do Ministério Público de Los Angeles decidiu esta semana não acusar formalmente o actor Kevin Spacey de agressão sexual num dos vários casos em que é investigado. O motivo da decisão é a morte inesperada do autor da acusação. Continuam a decorrer investigações sobre assédio e agressão sexual alegadamente cometidos por Spacey em Londres.

Em causa está uma acusação de um massagista que Spacey chamou a sua casa em Malibu que se queixou de o actor o ter obrigado a tocar-lhe nos genitais e de ter tentado beijá-lo à força. O alegado acto terá tido lugar em Outubro de 2016 e o nome do massagista, que na altura fez uma participação à polícia de Los Angeles, não foi divulgado publicamente. O mesmo homem interpôs outra queixa contra o actor, desta feita num tribunal federal e que está a ser tratada como um caso cível, cujo desfecho não é ainda conhecido.

“As alegações de agressão sexual não podem ser provadas sem a participação da vítima. Por isso, o caso foi rejeitado”, dizem os documentos legais a que o jornal Los Angeles Times teve acesso.

Não são conhecidas as causas da morte do queixoso, descrita como “prematura” pelos seus advogados. Na sequência da comunicação desta morte à justiça, os advogados de Spacey pediram a anulação da queixa.

Este é o segundo caso contra Spacey, uma das primeiras figuras públicas a cair em desgraça no movimento #MeToo após uma série de denúncias públicas do seu alegado comportamento abusivo para com outros homens, que desaparece nos últimos meses. No Verão, a procuradoria de Massachussetts também não deu sequência a uma queixa relativa a toques indesejados porque o acusador se recusou a testemunhar por causa de mensagens sobre o sucedido que teriam sido apagadas do seu telemóvel.

Kevin Spacey tem-se declarado inocente das acusações de que é alvo, tanto em tribunal quanto publicamente num vídeo que surpreendeu. A sua carreira congelou desde 2017, tendo sido retirado do filme Todo o Dinheiro do Mundo a apenas um mês e meio da estreia e despedido da série da Netflix House of  Cards. Nos últimos meses esteve na Europa, nomeadamente em Portugal, onde tirou fotografias com fãs, e em Itália — onde leu inesperadamente nas escadas do Palazzo Massimo alle Terme, em Roma, um poema de Gabriele Tinti sobre um boxeur cuja carreira terminou.

A investigação policial em Londres diz respeito a uma série de acusações de assédio quando era director artístico do teatro Old Vic (2004-2015) e está ainda em curso. Spacey terá sido interrogado em Março, escreveu há meses a revista Variety, em resposta a seis acusações de agressão sexual de que é alvo. 

Sugerir correcção