Crónica de jogo

O Famalicão ofereceu a liderança ao FC Porto

Erros individuais de jogadores famalicenses estiveram na origem dos três golos dos “dragões”, que fizeram uma das melhores exibições da temporada e chegaram ao topo da classificação.

Um dos golos do FC Porto
Foto
Um dos golos do FC Porto LUSA/MANUEL FERNANDO ARAÚJO

Se houvesse justiça no futebol, a vitória clara do FC Porto, neste domingo, no Estádio do Dragão, sobre o Famalicão por 3-0 não teria nascido de três erros clamorosos de jogadores famalicenses. É que os “dragões” protagonizaram uma das melhores exibições da temporada e tiveram várias oportunidades para construir um triunfo folgado antes sequer de terem dado início à goleada. Mas se não houve justiça na forma houve no conteúdo, pois o mais importante para os portistas foi conseguido e são eles os novos líderes do campeonato.

Sérgio Conceição promoveu várias alterações no habitual “onze” portista e, desta vez, deu-se bem. Alex Telles e Zé Luís ficaram no banco de suplentes e Marega nem aí se sentou. A consequência foi um FC Porto mais compacto, com Corona a avançar no terreno (Mbemba tomou o lugar do mexicano na defesa) e a ser uma autêntica dor de cabeça para o lateral esquerdo do Famalicão durante todo o primeiro tempo, enquanto, do outro lado, Luis Díaz também deu muito trabalho.

Sempre muito “ligado” ao jogo, o FC Porto foi uma equipa tremendamente pressionante e a impedir o adversário de sair do seu meio-campo de forma organizada, como tem sido imagem de marca deste Famalicão recém-chegado à I Liga mas que entrou no Dragão como líder da tabela.

Metidos num “colete de forças”, os famalicenses sentiam muitas dificuldades para construir jogo e sucederam-se as ocasiões de golo para os portistas. Não fosse o guarda-redes Defendi e o jogo poderia ter chegado aos seus primeiros 20 minutos com uma goleada portista.

Só por uma vez, e através de Fábio Martins — provavelmente o jogador mais talentoso da equipa —, o Famalicão assustou Marchesín, mas o guarda-redes do FC Porto mostrou-se atento.

Os esforços dos “dragões”, contudo, acabaram por dar resultados já perto do intervalo, quando a pressão dos homens da casa forçou o erro de Patrick — o central do Famalicão entregou a bola a Díaz, que aproveitou para fazer o primeiro do jogo.

O segundo tempo foi em tudo semelhante ao primeiro. O Famalicão continuou a não abdicar dos seus princípios e a tentar “sair” a jogar, mas a pressão do FC Porto foi ainda mais eficaz. Por isso, não foi de estranhar que aparecesse nova oferta. Desta vez foi Lionn, que entregou a Soares — o avançado avançou para a baliza e, com uns ressaltos à mistura, fez o segundo golo.

Com a vitória na mão, o FC Porto ainda chegaria aos 3-0, já nos derradeiros instantes do encontro. Acabado de entrar, Fábio Silva pressionou de forma insistente a defesa do Famalicão e, desta feita, foi o guarda-redes Defendi a falhar e a entregar a bola ao jogador, que fixou o resultado final.