A violência na escola não aumentou, a indisciplina dos alunos e o cansaço dos professores sim

Numa semana marcada por várias agressões entre alunos e professores, os números oficiais disponíveis desmentem que haja uma escalada de violência dentro dos portões da escola. O que preocupa os especialistas é o cansaço e o envelhecimento da classe docente e a crescente indisciplina dos alunos.

Foto
Mais do que as agressões, o que preocupa os especialista é a falta de condições para que as escolas mobilizem os alunos Daniel Rocha (arquivo)

A violência nas escolas não parece estar a aumentar, mas a indisciplina dos alunos e o cansaço dos professores, sim. Numa semana marcada pela mediatização de várias agressões ocorridas dentro dos portões das escolas (do professor que agrediu um aluno em Lisboa, aos vários alunos que agrediram professores em Coimbra, com direito ainda a manifestações solidárias de pais com docentes agredidos por familiares de estudantes em Valença), o que levou um dos sindicatos do sector a convocar uma greve de duas semanas contra a violência nas escolas, a pergunta impôs-se: as agressões dentro das escolas portuguesas estão a aumentar? Os únicos números disponíveis, que resultam da acção da PSP e da GNR no âmbito do programa Escola Segura mostram que não.