Governo promete lutar na Europa para reduzir “efeitos perversos da concorrência fiscal”

Programa do Governo inclui linhas orientadoras do que Lisboa defenderá em Bruxelas no combate à evasão fiscal.

António Costa
Foto
Portugal assume a presidência rotativa da União Europeia a 1 de Janeiro de 2021 Reuters/FRANCOIS LENOIR

António Costa incluiu no programa do seu segundo Governo quatro compromissos para trabalhar com os parceiros europeus no combate às desigualdades globais, desde logo, garantindo que irá “bater-se por uma maior justiça fiscal à escala europeia, combatendo a erosão das bases tributáveis entre diferentes Estados, a evasão fiscal e a concorrência desleal”.