VW mostra Golf 8 e “leva muito a sério” a concorrência da Tesla

Modelo de maior sucesso da marca alemã terá cinco motorizações híbridas. E depois das novidades, o chefe da VW elogiou de novo o trabalho da Tesla.

,Show de automóveis
Foto
O CEO da VW, Herbert Diess, sentado num Golf 8, durante a apresentação em Wolfsburgo REUTERS/Fabian Bimmer

Quando o líder do mundo automóvel, que vende 10 milhões de carros por ano, diz que leva a sério um concorrente que vendeu “apenas” 245 mil viaturas em 2018, isso é apenas uma simpática troca de galhardetes entre gestores milionários ou uma declaração para ler nas entrelinhas? Não faltam sinais de um “bromance” entre o todo-poderoso líder da Volkswagen (VW), Herbert Diess, e o polémico chefe da Tesla, Elon Musk. Nos últimos meses, houve elogios cruzados, o mais recente surgiu na quinta à noite, do lado alemão, durante a apresentação do novo Golf 8, que foi revelado ao mundo nas últimas horas.

PÚBLICO -
Foto
Mais de 36 milhões exemplares do Golf foram construídos desde que o modelo nasceu em 1974. Na foto, a traseira de um dos exemplos da oitava e mais recente geração EPA/DAVID HECKER

Questionado por jornalistas, o CEO do maior fabricante mundial de carros declarou que “a Tesla não é de nicho”, reservando elogios para a empresa que esta semana anunciou lucros trimestrais que surpreenderam o mercado bolsista. “O Model 3 é um modelo de sucesso e [a Tesla] é um dos maiores fabricantes de carros eléctricos. Temos muito respeito pela Telsa. É um concorrente para levar muito a sério”, disse o gestor alemão, citado pela Bloomberg, em Wolfsburgo, cidade-sede do grupo Volkswagen.

Foi ali que o líder mundial revelou ao mercado a oitava geração do Golf. E depois de mostrar como a VW está a tentar incorporar a mobilidade eléctrica no modelo de maior sucesso, Diess voltou a exaltar a qualidade do trabalho da Tesla, tal como já tinha feito em Setembro. Nessa altura, aproveitou o Salão de Frankfurt para dizer que admirava aquela empresa mas desmentia que a VW estivesse interessada em comprá-la. Dias depois, Elon Musk retribuiu o galhardete.

Vinte e quatro horas após o início do julgamento na Alemanha do escândalo dieselgate, que senta a VW no banco dos réus devido à manipulação dos testes de emissões poluentes em motores diesel, Musk foi ao Twitter dizer que “Diess está a fazer pelo eléctrico mais do que qualquer outro grande construtor. (...) Vale o que vale, mas ele tem o meu apoio”, escreveu o empresário que esta semana até dispensava qualquer ajuda.

Tesla ultrapassa GM na bolsa

Isto acontece numa semana em que a Tesla vive um clima de euforia, depois de anunciar lucros inesperados de 143 milhões de dólares no terceiro trimestre de 2019.

PÚBLICO -
Foto
Gráfico da cotação mostra um salto no dia 23 de Outubro Marketwatch

O mercado esperava prejuízos, mas depois da divulgação dos resultados, a cotação das acções da Tesla saltou 20%, registando o melhor dia desde 2013, na bolsa de Nova Iorque. Apesar dos números positivos, e dos elogios de grandes concorrentes, há analistas de mercado que continuam a suscitar dúvidas sobre a sustentabilidade da gestão da Tesla.

Seja como for, a Tesla ultrapassou a General Motors (GM) como fabricante mais valioso dos EUA. No fecho da bolsa na quinta-feira, as acções da Tesla fecharam com uma subida de 17% (para 298 dólares), mesmo assim, longe dos 390 dólares por acção que chegou a valer em 2018.

PÚBLICO -
Foto
A VW "carrega" na tecnologia – quem tem um telemóvel Samsung pode configurá-lo como chave do carro DR
PÚBLICO -
Foto
Visual exterior do Golf 8 mantém a figura reconhecível do modelo de maior sucesso comercial da VW DR

Apesar disso, a Tesla tem agora uma capitalização bolsista de 53,7 mil milhões de dólares, contra os 51,1 mil milhões de dólares atribuíveis à GM.

Golf 8: um ícone com prazo de validade? 

Quanto ao novo Golf 8, a produção começará em Dezembro, na Alemanha. Resumidamente, a VW manteve um visual reconhecível, mas deu ao Golf uma nova configuração mais aerodinâmica. Algo que é acentuado visualmente pelas mudanças na dianteira, onde a grelha superior é mais pequena, fazendo parecer que o carro está mais baixo, e as ópticas dão a ilusão de maior largura – o que até contraria a realidade, porque o carro está 10 milímetros mais estreito do que a geração anterior.

No interior, é notório que a tecnologia ganha muito espaço no habitáculo, ao passo que nas motorizações haverá cinco opções híbridas: três com um sistema híbrido de 48 volts (potências entre 81 cavalos a 148 cavalos); e dois híbridos plug-in, com baterias de 13 kWh que debitam até 201 ou 241 cavalos de potência.

Há ainda dois motores a gasolina (1.0 e 1.5), com quatro configurações possíveis, e uma opção a gasóleo (motor 2.0) com duas versões (114cv e 148cv). A Volkswagen tenciona investir 50 mil milhões de euros.

Os executivos da VW, que andam a responder em tribunal por terem enganado todo o mundo com as emissões poluentes reais mais elevadas do que aquelas que eram anunciadas, garantem que este ícone do mundo automóvel está mais limpo do que nunca. E acessível – na Alemanha, o preço de entrada ficará abaixo dos 20 mil euros, segundo disseram em Wolfsburgo.

Porém, o motor eléctrico e, sobretudo, a mudança de hábitos dos consumidores, parece colocar o Golf com um prazo de validade. A popularidade dos SUV está a roubar clientes ao segmento dos compactos. E internamente a VW concebeu o modelo ID.3 como carro eléctrico do futuro no segmento em que hoje domina e reina o Golf. Será que este sucesso de vendas caminha para o fim da vida? Ralf Brandstätter, líder de operações da marca Volkswagen, diz estar optimista: “Eu acredito que depois do Golf 8 ainda vai haver mais um novo.”

Notícia corrigida a 25/10/2019: ao contrário do que se escreveu no texto inicial, a Tesla não vende um milhão de carros por ano. Vendeu 245 mil em 2018.