Regulador nunca fiscalizou qualidade da clínica onde obstetra de Setúbal fazia ecografias

Entidade Reguladora da Saúde ganhou competência para o licenciamento em 2014. Mas tem cerca de 30 funcionários para fiscalizar perto de 30 mil estabelecimentos e não lhe compete avaliar a actividade dos profissionais de saúde, tarefa que cabe à Ordem dos Médicos.

Foto
Francisco Alves Rito

O caso do obstetra de Setúbal que acumulou várias queixas e processos na Ordem dos Médicos (OM) na última década por não detectar malformações em ecografias evidencia as deficiências do sistema de fiscalização da qualidade da saúde em Portugal, tantos dos profissionais, como dos estabelecimentos e dos equipamentos.