Donald Tusk pede aos Estados-membros que aceitem extensão do “Brexit”

O presidente do Conselho Europeu vai propor um procedimento escrito, de forma a evitar que seja convocada uma cimeira extraordinária.

Donald Tusk, presidente do Conselho Europeu
Foto
Donald Tusk, presidente do Conselho Europeu PATRICK SEEGER/LUSA

O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, vai pedir aos líderes dos 27 Estados-membros da União Europeia que aceitem o pedido de adiamento do “Brexit”, marcado para 31 de Ourtubro.

“No seguimento da decisão do primeiro-ministro Boris Johnson, de fazer uma pausa no processo de ratificação do Acordo de Saída, e de forma a evitar um ‘Brexit’ sem acordo, vamos recomendar aos 27 Estados-membros que aceitem o pedido de adiamento. Para isso vou propor um procedimento escrito” (que evita uma nova cimeira), anunciou Tusk no Twitter na terça-feira.

O Parlamento do Reino Unido aprovou o acordo para a saída da União Europeia (UE) esta terça-feira. Mas o dia acabou por ser agridoce para o primeiro-ministro briânico, Boris Johnson: os deputados concordaram com o princípio do acordo que negociou com Bruxelas na semana passada, mas querem mais do que apenas três dias para discutirem a complexa proposta de lei que vai regulamentar os termos da saída.

Os deputados rejeitaram assim a pressão do primeiro-ministro para que o processo ficasse resolvido ainda esta semana, o que torna praticamente impossível a data de a 31 de Outubro.

Na sua primeira reacção, ainda no Parlamento, Boris Johnson congratulou-se com a aprovação do acordo com Bruxelas e passou a bola para o lado da UE. A partir de agora, disse o primeiro-ministro, nada será feito até que os líderes europeus digam se aceitam o pedido de adiamento feito por Londres no sábado passado (contra a vontade de Johnson) e até quando.