Alarcón, suspenso por doping, diz-se inocente

O ciclista do FC Porto diz ter “pareceres médicos” que atestam que não cometeu nenhuma infracção.

Alarcón na Volta a Portugal 2017
Foto
Alarcón na Volta a Portugal 2017 LUSA/NUNO VEIGA

O ciclista espanhol Raúl Alarcón, da W52-FC Porto, suspenso preventivamente pela União Ciclista Internacional (UCI), diz não ter cometido qualquer infracção ao regulamento antidoping e que tem provas que confirmam a inocência.

Numa publicação no Facebook, o bicampeão da Volta a Portugal (2017 e 2018) assumiu ter sido notificado da suspensão provisória, mas garantiu estar inocente. “Tenho em meu poder pareceres médicos absolutamente concludentes no sentido de que não existiu nenhuma violação pela minha parte a normas antidopagem. Vou, por isso, tentar, com todas as minhas forças, demonstrar no processo que me é levantado que estou inocente e que não pratiquei qualquer infracção”, escreveu.

De acordo com a lista de ciclistas suspensos provisoriamente pela UCI, publicada na segunda-feira, Alarcón, de 33 anos, está acusado de “uso de métodos proibidos e/ou substâncias proibidas”.