“O Natal vai ser igual ou pior do que o Verão” nas maternidades

Depois de um Verão díficil para as urgências obstétricas, Dezembro não se advinha melhor, alerta Alexandre Valentim Lourenço, presidente do Conselho Regional do Sul da Ordem dos Médicos, em entrevista ao PÚBLICO. O problema é o mesmo: a falta de médicos.

Foto
Alexandre Valentim Lourenço, presidente da secção regional do Sul da Ordem dos Médicos, diz que é preciso manter os médicos mais velhos no SNS e cativar os novos a ficar Miguel Manso

No Verão acentuaram-se os alertas relacionados com a falta de médicos em várias especialidades, como ginecologia/obstetrícia, pediatria e anestesia. Houve notícias de falhas nas escalas das urgências que puseram em risco as maternidades da zona de Lisboa e Algarve. Alexandre Valentim Lourenço, presidente do Conselho Regional do Sul da Ordem dos Médicos, cuja área de intervenção vai de Lisboa e Vale do Tejo ao Algarve, diz em entrevista ao PÚBLICO que Dezembro trará dificuldades acrescidas.

Sugerir correcção
Ler 15 comentários