Perante o vazio das instituições, as ruas assumem o comando

O movimento independentista catalão era conhecido por trazer milhões de pessoas para as ruas de forma pacífica. Algo mudou na última semana. A paciência de muitos esgotou-se no preciso momento em que o poder não dá respostas.

Foto
Juan Medina/Reuters

Em Barcelona, o governo autonómico mantém-se por um fio e é hoje questionado abertamente pelo independentismo, enquanto em Madrid a temporada eleitoral já segue a todo o vapor, com a situação na Catalunha a servir para marcar diferenças. Num dos momentos mais críticos do processo independentista catalão, as instituições dão sinais de paralisia e privilegiam as agendas próprias. Na sua ausência, a iniciativa fica com as ruas. E aí, a sentença de prisão para os dirigentes independentistas representou um momento de viragem.