Reportagem

Na Testada, já só restam as ruínas e as memórias do que foi uma ilha fértil

Habitada até ao final da década de 1970, início de 1980, aquela que foi uma das principais ilhas da ria de Aveiro está hoje largada ao abandono. O junco e as silvas tomaram conta de tudo. Restam as (boas) memórias de quem lá nasceu e viveu.

Parece que o tempo passou uma borracha por cima da história do que foi um pequeno povoado. Da vivência protagonizada por dezenas de pessoas — não se sabe quantas, ao certo — apenas ficaram algumas ruínas, para ajudar a contar a história. Restos de paredes e telhados, que vivem numa luta constante com a vegetação que cresce de forma selvagem. Ninguém diria que aqueles terrenos já foram cultivados. Eram tão férteis que ali vingava “quase tudo o que se semeava”.