Santana Lopes não se candidata mais em legislativas

O líder da Aliança ironiza e não exclui hipotética candidatura ao FMI ou à (inexistente) Freguesia de Alguidares de Baixo.

,Rubens Menin Teixeira de Souza
Foto
O Aliança não conseguiu eleger nenhum deputado nem chegar ao patamar dos 50 mil votos LUSA/Manuel Almeida

Desiludido com os resultados das eleições legislativas, Pedro Santana Lopes não se dá como “morto político”. Neste sábado ao Expresso, diz querer cumprir os dois anos que faltam à frente da Aliança.

Santana Lopes não foi eleito deputado e culpa a comunicação “tradicional” do partido pelo mau resultado, comparando com a campanha “do imaginativo Iniciativa Liberal”. Diz também que muita gente pensava que para votar no antigo primeiro-ministro era preciso meter a cruz no PSD.

Sobre o futuro rejeita apenas uma nova candidatura à Assembleia da República, mas não excluí uma — hipotética e irónica — candidatura ao FMI ou à (inexistente) Freguesia de Alguidares de Baixo, mostrando-se disponível para novos desafios.

Com uma dívida acumulada a rondar os 70 mil euros num partido com pouco mais de um ano de existência, a Aliança pede donativos aos militantes num valor entre os 100 e os 500 euros. 

Nas últimas legislativas, a que a Aliança concorreu pela primeira vez, o partido não conseguiu eleger nenhum deputado nem chegar ao patamar dos 50 mil votos.