18 de Outubro de 2019, data do primeiro passeio espacial só com mulheres

Christina Koch e Jessica Meir trocaram baterias no exterior da Estação Espacial Internacional.

Foto
Jessica Meir e Christina Koch fizeram um passeio espacial só com mulheres NASA

Esta sexta-feira as astronautas norte-americanas Christina Koch e Jessica Meir fizeram história ao caminharem no exterior da Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês) naquele que foi o primeiro passeio espacial totalmente feminino. Este marco foi atingido durante uma missão relativamente rotineira para trocar baterias no exterior da ISS.

Vestidas com fatos brancos e presas por cabos, Christina Koch e Jessica Meir começaram a andar no exterior da estação às 12h38 (hora de Lisboa) para trocar baterias concebidas para ajudar a armazenar energia a partir dos painéis solares da estação, divulgou a NASA através de um vídeo em directo da acção.

Prevista para durar cerca de cinco horas, a primeira caminhada totalmente feminina esteve primeiramente marcada para Março. Na altura, essa missão foi adiada porque uma das astronautas vestia o tamanho médio e o fato não estava configurado a tempo da caminhada.

Os astronautas da Estação Espacial Internacional – que ficou operacional em 2000 – já fizeram 221 passeios espaciais para manutenção e 43 deles incluíram mulheres astronautas, de acordo com a NASA.

O passeio espacial desta sexta-feira, formalmente chamado “actividade extraveicular”, corresponde aos objectivos da agência norte-americana para fomentar a inclusão de género no espaço.

PÚBLICO -
Foto
Christina Koch e Jessica Meir NASA/JOSH VALCARCEL

Até 2020 (antes de abandonar a ISS), Christina Koch poderá tornar-se a mulher a permanecer mais tempo no espaço, recorde que até agora pertence à astronauta Peggy Whitson. “Há muitas pessoas que vão buscar motivação a histórias inspiradoras de pessoas que se parecem com elas e penso que este é um aspecto importante da história que tenho para contar”, afirmou a astronauta numa conferência da NASA este mês.

Sandra Magnus, uma antiga astronauta da NASA que passou 136 dias na ISS, disse à agência de notícias Reuters que não quer que acontecimentos como os desta sexta-feira se tornem apenas truques. “Por um lado, queremos que estas iniciativas aconteçam porque as pessoas têm capacidade para isso”, afirmou. “Por outro lado, é importante que jovens mulheres vejam mulheres que são consideradas um modelo para elas fazerem coisas extraordinárias”, acrescentou. “Por isso, temos os dois lados da moeda: pretende-se que seja algo normal, mas também que seja especial.”