Líder da JP: “Estou disponível para o que os militantes quiserem”

Conselho nacional do CDS reúne-se esta noite na sede do partido, em Lisboa.

Juventude Popular
Foto
Francisco Rodrigues dos Santos deixou a porta aberta a uma possível candidatura à liderança do CDS Nuno Ferreira Santos

Francisco Rodrigues dos Santos, líder da Juventude Popular, deixou a porta aberta a uma possível candidatura à liderança do partido, momentos antes de entrar na sede do partido para uma reunião do conselho nacional. “Estou como sempre estive ao lado do partido. Estou disponível para aquilo que os militantes entenderem que eu possa ser mais útil”, afirmou o dirigente aos jornalistas, depois de questionado se é candidato à sucessão de Assunção Cristas. Francisco Rodrigues dos Santos defendeu que é preciso discutir “o futuro” do partido. 

Essa foi também a linha defendida por outro potencial candidato à liderança, Filipe Lobo d ’Ávila. O ex-deputado reafirmou que quer “ouvir o partido” e que não poderia tomar uma decisão antes deste momento. Sobre a ponderação que está a fazer, Lobo d’Ávila disse estar relacionada com as suas circunstâncias pessoais e também políticas além de querer “perceber o caminho que o CDS quer”. O conselheiro nacional, que foi oposição a Cristas, sublinhou a necessidade de “recuperar as estruturas” do CDS e refundar o partido”. 

Já entraram dirigentes como Nuno Melo – que apenas disse ir “ouvir o partido” – Adolfo Mesquita Nunes, que foi coordenador do programa eleitoral do CDS, e Cecília Meireles, vice-presidente do partido. Outros dirigentes como a líder do partido, Assunção Cristas, e João Almeida, porta-voz, estiveram reunidos em comissão política nacional. 

Na reunião do conselho nacional desta noite deverá ser marcada a data do congresso, que irá eleger o sucessor de Assunção Cristas.