“Brexit”: líderes da UE já viram este filme mas ainda assim esperam um final diferente

Depois de uma negociação dramática, a União Europeia e o Reino Unido fecharam um novo acordo para o “Brexit”, que os chefes de Estado e governo aprovaram com alívio mas sem celebrações. A pressão volta a ficar do lado de Londres.

Foto
Johnson e Macron na cimeira europeia desta quinta-feira, depois do anúncio do acordo para o "Brexit" EPA

O desabafo do primeiro-ministro português, António Costa, podia ter sido repetido pelos presidentes das instituições europeias e todos os chefes de Estado e Governo que saudaram a conclusão do acordo para a saída do Reino Unido da União Europeia, quatro horas antes do início do Conselho Europeu, com o sobressalto e a circunspecção de quem está a ter um “dejá-vu”. “Espero que à quarta seja de vez, e que este acordo valha não só entre nós [UE] e o Governo britânico, mas que também possa ter a aprovação do Parlamento [de Londres], para então podermos passar àquilo que é o mais importante que é trabalhar na relação futura com o Reino Unido”, observou.