Quatro portugueses candidatos ao prémio literário Astrid Lindgren 2020

António Jorge Gonçalves, Catarina Sobral, Maria Teresa Maia Gonzalez e Bernardo P. Carvalho integram uma lista de 237 candidatos de 68 países.

,Astrid Lindgrens Värld
Foto

Os autores portugueses António Jorge Gonçalves, Catarina Sobral, Maria Teresa Maia Gonzalez e Bernardo P. Carvalho são candidatos ao prémio literário sueco Astrid Lindgren 2020, foi anunciado esta quinta-feira na Feira do Livro de Frankfurt, na Alemanha.

Com excepção de António Jorge Gonçalves, todos os outros autores já tinham figurado anteriormente na lista de nomeados deste prémio instituído em homenagem à criadora da personagem Pipi das Meias Altas. Destinado a consagrar escritores e ilustradores que trabalhem no universo literário para os mais novos, bem como de de organizações que promovam a leitura, o Astrid Lindgren tem um valor monetário de 570 mil euros, o que o coloca entre os mais cobiçados prémios literários do mundo.

António Jorge Gonçalves, cujo trabalho visual se divide por várias práticas artísticas, da banda desenhada ao cartoon político, do desenho digital ao vivo à cenografia para teatro, publicou em nome próprio os livros para a infância Barriga da Baleia, Eu quero a minha cabeça e Estás tão crescida.

Catarina Sobral e Bernardo P. Carvalho têm um premiado percurso na criação de álbuns ilustrados para a infância, muitos dos quais traduzidos e editados em vários mercados estrangeiros.

Catarina Sobral já publicou, entre outros, O Meu Avô, Achimpa, Impossível e Vazio, enquanto Bernardo P. Carvalho, co-fundador da editora Planeta Tangerina, já assinou cerca de 30 livros para a infância e juventude, a solo ou enquanto ilustrador para outros autores, como nos recentes Daqui Ninguém Passa Atlas das Viagens e dos Exploradores, de Isabel Minhós Martins, ou em A Bola Amarela, de Daniel Fehr, .

Maria Teresa Maia Gonzalez, que se dedica à literatura para a infância desde finais dos anos 1980, já publicou mais de uma centena de livros, sendo A Lua de Joana o de maior sucesso, ao qual se juntam os muitos títulos que escreveu para as colecções Profissão: Adolescente, Um Palco na Escola, Zoomanias ou O Clube das Chaves, esta última em co-autoria com Maria do Rosário Pedreira.

Criado em 2002 pelo governo da Suécia, em homenagem à escritora Astrid Lindgren, o prémio contará em 2020 com 237 candidatos de 68 países, sendo o Reino Unido o que lidera as nomeações com 20 candidatos, entre os quais Quentin Blake, David Almond, Patrick Ness e Emily Gravett. O vencedor será anunciado a 31 de Março, coincidindo com a Feira do Livro Infantil de Bolonha, em Itália.

O Astrid Lindgren Memorial Award foi atribuído este ano ao autor belga Bart Moyeaert.