Rodrigo coloca Espanha no Euro 2020 e Seferovic trava apuramento irlandês

O avançado do Benfica fez com que o grupo D ficasse ao rubro: Irlanda com 12 pontos, Dinamarca com outros 12 (mas menos um jogo) e Suíça com 11.

Thiago esteve em foco nesta partida
Foto
Thiago esteve em foco nesta partida LUSA/Anders Wiklund/TT

Parecia um segundo match point desperdiçado pela Espanha (já tinha falhado com a Noruega), mas, nesta terça-feira, na qualificação para o Euro 2020, o ex-Benfica Rodrigo colocou os espanhóis no Europeu, com um golo aos 90’, dando o empate (1-1) frente à Suécia.

A Espanha visitou Estocolmo sabendo que uma igualdade seria suficiente para haver festa e entrou decidida a resolver a questão. O jogo acabou por ter um desfecho justo, já que a selecção espanhola fez um bom jogo, conseguindo várias oportunidades de golo, e, sobretudo, várias jogadas de qualidade, com combinações curtas entre os atacantes.

Carvajal esteve muito em jogo, bem como Thiago, e os espanhóis tiveram boas oportunidades aos 4’ (Thiago de fora da área), aos 7’ (Thiago isolado), aos 11’ (Ruiz para defesa de Robin Olsen) e aos 20’ (Moreno para nova defesa de Olsen). Também a Suécia teve uma oportunidade, por Quaison, mas o jogo foi maioritariamente de uma Espanha criativa, mas incapaz de finalizar e, sobretudo, de destruir a barreira chamada Olsen.

Se o jogo já não estava a ser feliz para os espanhóis, menos ficou logo após o intervalo. Berg cabeceou para defesa de De Gea, Quaison fez a recarga para nova defesa do guardião e Berg, à terceira tentativa, conseguiu, finalmente, a finalização - o guarda-redes espanhol acabaria por deixar o jogo devido a lesão.

O golo sofrido fez bem a uma Suécia que começou a organizar-se melhor e a permitir menos penetrações espanholas. A Espanha só renasceu nos últimos 20 minutos e, aí, voltou a haver Robin Olsen a barrar os intentos espanhóis. Um jogo globalmente bem conseguido pela favorita Espanha parecia condenado a um desfecho inglório, mas, perto do apito final, o recém-entrado Rodrigo, num lance confuso, finalizou perto da linha de baliza e confirmou a presença da Espanha no Europeu.

Grupo D ao rubro

Na Suíça, a Irlanda também tinha o apuramento à mercê, no grupo D. Os irlandeses não tinham uma missão tão acessível como a Espanha, já que, para estarem no Europeu, teriam de bater a Suíça. O jogo até chegou a estar em risco, devido ao mau estado do relvado, mas a equipa de arbitragem avançou com a partida.

Numa mistura de relva com lama, o benfiquista Seferovic voltou a ser titular – o seleccionador não abdica do avançado – e, poucos dias depois de ser eleito o jogador do ano na Suíça, justificou o prémio com um golo: remate rasteiro, de fora da área, não muito forte, mas colocado. E Suíça em vantagem, aos 16’.

Ricardo Rodríguez falhou um penálti na segunda parte, mas a Irlanda, que ainda sofreu um autogolo de Duffy, perdeu por 2-0 e deixou que o grupo D ficasse ao rubro: Irlanda com 12 pontos, Dinamarca com outros 12 (mas menos um jogo) e Suíça com 11.