Urgência pediátrica do Hospital Garcia de Orta volta a encerrar esta noite

Urgência encerrará por “insuficiência de médicos para cumprir a escala nocturna” e reabrirá esta terça-feira às 08h30. Utentes que necessitem de recorrer a uma urgência pediátrica devem dirigir-se ao Hospital de Santa Maria ou do Hospital de Dona Estefânia.

Hospital Garcia de Orta
Foto
ftx Fabio Teixeira

A urgência do serviço de pediatria do Hospital Garcia de Orta (HGO), em Almada, voltará a estar encerrada esta segunda-feira, informou o Conselho de Administração do Hospital em comunicado.

“A Urgência do Serviço de Pediatria encerrará das 21h00 de hoje, dia 14 de Outubro, até às 08h30 de amanhã, dia 15 de Outubro, por insuficiência de médicos pediatras para cumprir a escala nocturna”, lê-se no comunicado. 

A administração do hospital informa ainda que todos os utentes que necessitem de recorrer a uma urgência pediátrica durante o período referido se devem dirigir às urgências pediátricas do Hospital de Santa Maria ou do Hospital de Dona Estefânia, em Lisboa.

A urgência deste hospital esteve encerrada entre as 20h00 de sábado e as 08h00 de domingo pela mesma razão pela qual encerra esta segunda-feira. Este fim-de-semana, a administração do hospital disse lamentar a situação, mas garantiu que estão a decorrer “todas as diligências necessárias para ultrapassar as dificuldades”, em articulação com a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT) e com a tutela.

Em comunicado enviado às redacções esta segunda-feira, a Câmara Municipal do Seixal mostrou-se preocupada com o encerramento das urgências de pediatria que põe em causa o atendimento a crianças que ficam “privadas do acesso a cuidados de saúde condignos” e pede que “se encontrem soluções urgentes para a falta de profissionais no Serviço Nacional de Saúde”. A autarquia garante que esta questão já tinha sido abordada pelo presidente da Câmara Municipal numa reunião que teve em Junho com a secretária de Estado da Saúde, Raquel Duarte. 

“Na altura, a secretária de Estado transmitiu à autarquia que estariam a ser tomadas medidas para ultrapassar os constrangimentos existentes rapidamente. Infelizmente, passados poucos meses desde essa reunião, a situação na Pediatria no HGO não só não se resolveu, como ainda se agravou”, lê-se no comunicado da autarquia.

Esta segunda-feira, também Miguel Guimarães, bastonário da Ordem dos Médicos, se mostrou preocupado com o encerramento temporário das urgências pediátricas do Garcia de Orta, dizendo que vai escrever à ministra da Saúde a alertar novamente para a “grave carência” de pediatras e lembrando que se algum acidente acontecer naquele serviço de urgência terá de ser o Ministério da Saúde a assumir responsabilidades.

O bastonário entendeu ainda que “é inaceitável e incompreensível que a situação não tenha sido ainda resolvida”, recordando que os médicos andam desde o ano passado a chamar a atenção para a falta de médicos. Sublinha ainda que este serviço recebe cerca de 150 crianças por dia e que chega a ser assegurado por um médico especialista e um médico interno (em formação de especialidade).

Em declarações à Lusa, Miguel Guimarães recordou que chegou a apresentar uma participação à Inspecção-geral das Actividades em Saúde sobre a situação, já há meio ano, a pedir que fosse investigada a composição das equipas da urgência pediátrica do hospital em Almada.

Segundo o Sindicato dos Médicos da Zona Sul, há uma grande carência de pediatras neste hospital de Almada, distrito de Setúbal, existindo apenas quatro médicos de serviço a assegurar os bancos de urgência à noite. Há mais de um ano que a situação no Garcia de Orta — hospital que atende cerca de 200 crianças por dia — tem vindo a piorar devido à falta de profissionais.