Candidato presidencial tunisino libertado a poucos dias das eleições

O magnata dos media, Nabil Karoui, procura chegar à presidência nas eleições de domingo.

Karoui celebra a saída da prisão junto dos seus apoiantes
Foto
Karoui celebra a saída da prisão junto dos seus apoiantes EPA/MOHAMED MESSARA

O candidato às eleições presidenciais tunisinas que estava detido, Nabil Karoui, foi libertado na quarta-feira à noite, a quatro dias da segunda volta em que defronta o académico Kaïs Saïed.

Karoui, um magnata do sector dos media, estava em prisão preventiva desde Agosto, acusado de lavagem de dinheiro e evasão fiscal e à espera do julgamento. A detenção não o privou dos seus direitos políticos e pôde apresentar-se como candidato às eleições presidenciais.

À porta da prisão de Mornaguia, próxima de Tunes, estava um grupo de apoiantes com bandeiras tunisinas, buzinas e cartazes para saudar Karoui.

As acusações contra o empresário mantêm-se, mas a saída de Karoui da prisão pode relançar a sua candidatura a poucos dias das eleições. A sua campanha tinha apresentado um recurso junto do Tribunal Administrativo a requerer o adiamento das eleições, com a justificação de que a prisão impediu o candidato de percorrer o país. No mês passado, a justiça tinha rejeitado o terceiro pedido de libertação feito pela sua defesa.

As sondagens atribuem vantagem ao seu adversário, o académico Kaïs Saïed, que já foi o candidato mais votado na primeira volta.

Karoui construiu uma imagem de candidato fora do sistema, adoptando uma postura populista sem deixar de utilizar o seu canal Nessma TV para fazer passar a sua mensagem. Era comum o empresário aparecer em aldeias e vilas do interior da Tunísia, onde a pobreza grassa, em missões de solidariedade transmitidas pela televisão.

As eleições presidenciais foram convocadas depois da morte do anterior Presidente, Beji Caid Essebi.