PÚBLICO conquista segundo prémio de jornalismo na área da dor

Reportagem “Renascidos do cancro” da TSF foi distinguida com o prémio promovido pela Fundação Grünenthal, com o apoio da Associação Portuguesa para o Estudo da Dor (APED).

Foto
Nuno Ferreira Santos

O segundo prémio da 8.ª edição do Prémio de Jornalismo na área da Dor — o prémio anual promovido pela Fundação Grünenthal, com o apoio da Associação Portuguesa para o Estudo da Dor (APED)​ — foi entregue na tarde desta quinta-feira, em Lisboa, à colaboradora do PÚBLICO Susana Pinheiro com a reportagem “Ir ao hospital fazer acupunctura, hipnose ou reiki”.  

A reportagem “Renascidos do cancro”, da jornalista Cristina Lai Men, da TSF, é o trabalho vencedor. Foi ainda atribuída uma menção honrosa à jornalista Sara Dias Oliveira, pela reportagem “Dor crónica, dor que mói”, publicada na Notícias Magazine, revista semanal do Jornal de Notícias.

Os prémios foram atribuídos tendo em conta critérios como a criatividade, a investigação, a relevância e a qualidade das peças jornalísticas, diz a Fundação Grünenthal em comunicado. Os trabalhos foram submetidos à avaliação de um painel de jurados constituído por Beatriz Craveiro Lopes, representante da Fundação Grünenthal, por Iuri Correia e Anabela Marques, da Associação Portuguesa para o Estudo da Dor, e Isabel Nery e Sofia Branco, do Sindicato dos Jornalistas.

O Prémio de Jornalismo na área da Dor é um prémio promovido anualmente pela Fundação Grünenthal, com o apoio da APED, e tem como objectivo incentivar e reconhecer o interesse e qualidade dos trabalhos jornalísticos na área da dor.

Recorde-se que Susana Pinheiro conquistou, em Julho de 2018, uma menção honrosa no prémio de Jornalismo em Oncologia, da Liga Portuguesa contra o Cancro, com o trabalho “Foram crianças com cancro. Mostram que é falso que ‘não se sai daqui vivo’”.