Incêndio em Sintra em fase de resolução. Cinco pessoas ficaram feridas

Incêndio deflagrou durante a tarde junto ao Estabelecimento Prisional da Carregueira e chegou a estar próxima da zona de Belas.

Fotogaleria
LUSA/MÁRIO CRUZ
Fotogaleria
LUSA/MÁRIO CRUZ
Fotogaleria
LUSA/MÁRIO CRUZ
Fotogaleria
LUSA/MÁRIO CRUZ
Fotogaleria
LUSA/MÁRIO CRUZ
Fotogaleria
LUSA/MÁRIO CRUZ
Fotogaleria
LUSA/MÁRIO CRUZ
Fotogaleria
LUSA/MÁRIO CRUZ
Fotogaleria
LUSA/MÁRIO CRUZ
Fotogaleria
LUSA/MÁRIO CRUZ
Fotogaleria
LUSA/MÁRIO CRUZ

O incêndio que deflagrou esta tarde na serra da Carregueira, em Sintra, está em fase de resolução. Segundo explica fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Lisboa ao PÚBLICO, as chamas foram dominadas por volta das 20h30.

“Neste momento estão a decorrer as operações de rescaldo que contam com a ajuda de duas máquinas de rasto. No terreno permanecem 360 operacionais e 115 meios terrestres”, diz fonte do CDOS. 

No combate às chamas, cinco pessoas ficaram feridas, três civis e dois bombeiros. De acordo com a mesma fonte do CDOS, um dos bombeiros teve de ser transportado para o Hospital de Santa Cruz, em Lisboa, por ter tido um enfarte do miocárdio. Os restantes feridos foram assistidos no local por inalação de fumo. 

Durante a tarde, por precaução, cerca de 50 pessoas foram retiradas das suas casas na localidade da Venda Seca, disse a presidente da União de Freguesias de Queluz e Belas.

Em declarações à agência Lusa cerca das 18h25, Paula Alves referiu que os moradores foram retirados das habitações devido à imprevisibilidade da direcção do fogo, tendo em conta o vento que se faz sentir na zona. “O vento não está a ajudar”, reforçou.

Ao PÚBLICO, fonte do CDOS confirmou a evacuação de 30 casas, mas afirmou que se tratou de uma “auto evacuação” e que a ordem de saída não partiu nem dos Bombeiros de Sintra nem da Protecção Civil.

Em declarações à agência Lusa, fonte da ANPC adiantou que o incêndio teve início às 15h20, numa zona de mato, junto ao Estabelecimento Prisional da Carregueira e do Centro de Tropas e Comandos.

De acordo com a página da Autoridade Nacional de Emergência e Protecção Civil, o combate às chamas chegou a ter o apoio de cinco meios aéreos que foram entretanto desmobilizados e de mais de 380 operacionais e 120 meios terrestres.