Torne-se perito

Figuras próximas de Pinto Luz saem em defesa da sua candidatura e atacam Rio

Carlos Carreiras, José Eduardo Martins e Ricardo Gonçalves assumem apoio a candidatura do autarca de Cascais

Miguel Pinto Luz está a recolher apoios para uma candidatura à liderança do PSD
Foto
Miguel Pinto Luz está a recolher apoios para uma candidatura à liderança do PSD Nuno Ferreira Santos

Nas últimas horas, algumas figuras próximas de Miguel Pinto Luz, vice-presidente da Câmara de Cascais, estão a criticar Rui Rio e a assumir o apoio a uma candidatura à liderança do PSD por parte do autarca. Um movimento que se seguiu a um idêntico por parte dos apoiantes de Luís Montenegro, que anuncia esta noite a sua candidatura à liderança do PSD. 

Um dos maiores críticos da liderança de Rui Rio, Carlos Carreiras, presidente da Câmara de Cascais, mostrou o seu apoio ao seu vice-presidente caso venha a ser candidato à liderança. “É um jovem quadro do PSD, muito bem preparado, trabalhamos juntos há imenso tempo, tem capacidade de trabalho e de conhecimento e soube rodear-se de uma geração mais nova”, disse esta terça-feira à noite em entrevista à SIC.

Carlos Carreiras criticou o actual líder não só pelo “bullying que fez aos companheiros do partido” mas também pela estratégia de se aproximar ao PS. “Teve uma posição acutilante para quem não concordava com ele no partido e muito concordante com o PS”, disse. O autarca e ex-vice-presidente de Passos Coelho defendeu que Rui Rio deve fazer a sua reflexão “em tempo útil” e dizer “se é candidato nestas eleições”.

Qualidades abrangentes

Outro social-democrata próximo de Pinto Luz é José Eduardo Martins, que foi apoiante de Rui Rio mas que se distanciou nos últimos tempos. O ex-secretário de Estado foi contundente para Rui Rio ao dizer que exerceu uma “liderança autocrática e solitária” e que, por isso, o actual líder “só tem de se queixar de si próprio”. Apesar de considerar que Rio “tem toda a legitimidade para se candidatar”, José Eduardo Martins assume que votará no candidato Miguel Pinto Luz, se avançar, por ter “qualidades mais abrangentes” e uma experiência executiva notável em Cascais”.

Também Vasco Rato, que esteve muito presente nos primórdios do passismo, escreveu nesta quarta-feira um artigo de opinião no Jornal de Notícias, no qual se mostra favorável à candidatura do autarca de Cascais. “Dir-se-á que o PSD tem futuro porque, no seu interior, existe uma geração nascida em democracia que defende um novo impulso reformista e um projecto político mobilizador. Se assim o entenderem, militantes como Miguel Pinto Luz dinamizarão a mudança que o país, fustigado por políticas anacrónicas que nos conduziram à estagnação económica e à paralisia social, não pode dispensar.”

Miguel Pinto Luz, que já tem o ex-secretário-geral do PSD José Matos Rosa ao seu lado, recolheu outro apoio entre os autarcas. Ricardo Gonçalves, presidente da Câmara de Santarém, considera que a “abordagem de Rui Rio aos resultados foi desastrosa” ao ter visto “uma das piores derrotas do PSD como uma vitória”. O autarca aponta Pinto Luz como “um dos melhores da sua geração no PSD” e defende que Rio não se deve candidatar novamente à liderança do partido. Mesmo que seja para concretizar as reformas estruturais. “Qual é a visão que ele tem? Não conseguiu passar essa mensagem. Está à espera que o PS lhe diga o que quer negociar?”, questionou, lembrando que já foi assinado um acordo sobre a descentralização que deixou os autarcas “desconfortáveis”.

Do lado de Rui Rio, David Justino disse entretanto que "não é óbvio” que Rui Rio decida recandidatar-se, mas deixou claro que tal decisão só será anunciada quando a poeira assentar. “Acho que o doutor Rui Rio, como já é reconhecido e característico da sua forma de actuar, não vai expressar-se quando existe este coro autêntico de apresentação de candidaturas, de críticas, de ataques, etc. Enquanto isto durar com certeza que ele não vai apresentar [a decisão quanto à recandidatura à liderança do PSD]. Quando ele entender que tem a sua decisão tomada, ele anunciará. Não há tabu nenhum”, concluiu David Justino no programa da rádio TSF Almoços Grátis.

Sugerir correcção