Imprensa internacional destaca a proeza do tradicional PS

“Animal político astuto e irascível” é como El Mundo classifica António Costa que o italiano La Reppublica diz ter tirado o país da crise.

,partido Socialista
Foto
Astuto e irascível é como o espanhol El Mundo se refere a António Costa Reuters/JON NAZCA

As primeiras análises das legislativas de 6 de Outubro da imprensa tradicional publicadas esta segunda-feira podem sintetizar-se na reflexão do início da crónica do Le Monde. “É a proeza do tradicional PS”, observa o diário francês.

“Quando a Europa é atravessada pela vaga de candidatos anti-sistema, a vitória, sem paliativos, do tradicional Partido Socialista português nas eleições legislativas é uma proeza”, comenta o jornal.

“O único entorse neste cenário clássico de um velho mundo político é o PAN, um jovem movimento ecologista, que não é de esquerda nem de direita, que consegue recolher votos que o aproximam da direita liberal do CDS-PP, à volta dos 4%”, destaca o matutino.

O PAN é também referência obrigatória para o The Times, que considera que este partido se pode transformar no fiel da balança, se António Costa recusar “as condições impostas pelo Bloco de Esquerda e pelo PCP de aumentar o salário mínimo para 800 euros”.

Afirmando que as sondagens apontavam para uma maioria absoluta do PS, The Times refere que os últimos dias de campanha foram abalados “por escândalos, incluindo uma polémica sobre nepotismo e alegado envolvimento de um antigo ministro da Defesa no encobrimento de informação no caso de Tancos”.

A relevância do PAN consta ainda da análise do Guardian e a BBC considera que António Costa entendeu não ter alcançado a maioria absoluta como um sinal dos eleitores para que o PS mantenha acordos com o Bloco de Esquerda e o PCP.

Le Point, de França, e o espanhol El País definem a vitória dos socialistas como um referendo à gestão de quatro anos do executivo de Costa. “Entre outras tarefas pendentes, o novo Governo terá que gerir a economia num cenário de menor crescimento do que nos anos anteriores, deverá reduzir a dívida e melhorar os serviços públicos”, aponta o diário espanhol.

“É o triunfo de um animal político astuto e irascível”, nota, por seu lado, o correspondente do El Mundo, enumerando os êxitos do primeiro-ministro português. “Conseguiu reduzir o défice e uma tímida recuperação da economia com uma governação pragmática sem estar limitado por um compromisso com as ideias da extrema-esquerda.”

Visão diferente é a do tradicional ABC. O diário conservador de Madrid prefere destacar o nível recorde da abstenção em Portugal e considera que “a fragmentação [de voto] não beneficiou, em nada, a direita que não soube aproveitar o facto de Rui Rio ter conseguido superar António Costa num debate televisivo”.

A consolidação de Costa é o prisma em destaque no catalão La Vanguardia, assinalando que os socialistas “superam a soma de votos da direita”. O comentário do La Repubblica, de Roma, destaca “mais uma vitória da receita socialista que tirou o país da crise”. Mas adverte para os desafios da conjuntura económica e dos desafios do “Brexit”.