Opinião

Polémica em torno do programa de expansão quantitativa

Os sistemas bancários e segurador de cada estado membro tendem a ser os principais investidores em dívida pública do respectivo estado membro e é natural que assim seja.

A recente decisão do Conselho do BCE de baixar a taxa de juro de referência de -0,4% para -0,5% e de iniciar um novo programa de expansão quantitativa de 20 mil milhões de euros por ano, já aqui analisada, não só foi uma decisão controversa dentro do Conselho do BCE, com os representantes de países como a Alemanha e a França a opor-se e com Sabine Lautenschläger, a representante da Alemanha Comissão Executiva do BCE, a demitir-se a dois anos do fim do seu mandato, como gerou polémica em certos meios.