Braima Dabó ajudou o colega a chegar à meta e foi nomeado para o prémio fair play

Estava a cerca de 250 metros da meta, na eliminatória dos 5000 metros, quando o atleta guineense, que estuda em Bragança, interrompeu o ritmo para ajudar Jonathan Busby a terminar a prova.

Bramia Dabó e Jonathan Busby durante a prova
Foto
Bramia Dabó e Jonathan Busby durante a prova SRDJAN SUKI/EPA

Apelidado de “herói do fair play” depois de ter ajudado o colega Jonathan Busby a terminar a prova dos 5000 metros nos Campeonatos do Mundo de Atletismo, no Qatar, Braima Dabó​, corredor da Guiné-Bissau de 26 anos que estuda em Bragança, é um dos quatro nomeados para o prémio fair play dos Mundiais de Atletismo. A lista foi divulgada esta segunda-feira pela Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF).

Estava a cerca de 250 metros da meta, na eliminatória dos 5000 metros, quando Braima Dabó​ interrompeu o ritmo para ajudar Jonathan Busby, da ilha caribenha de Aruba, a terminar a prova eliminatória.

Busby apresentou dificuldades para se manter em pé devido às altas temperaturas no Estádio Internacional Khalifa, na capital Doha. Braima Dabó, do clube português Maia Atlético Clube, não deixou a situação passar em claro e fez “o que qualquer um estaria disposto a fazer naquela posição”, como explicou em conversa com o PÚBLICO.

Os dois concluíram a prova ao mesmo tempo, por último. Chegaram à meta cerca de cinco minutos depois do vencedor Selemon Barega, mas receberam uma enorme ovação do público presente nas bancadas. O episódio, que correu o mundo, aconteceu no final de Setembro e Dabó vê agora (e uma vez mais) o seu desportivismo reconhecido.

Além de Braima Dabó, fazem também parte da lista o americano Sam Kendricks (que venceu o ouro), o polaco Piotr Lisek (que alcançou o bronze) e o “menino” sueco Armand Duplantis (que conseguiu a prata) pela camaradagem e respeito durante o concurso de salto com vara, assim como pela sua postura durante os festejos após a conquista das medalhas.

A lista é ainda composta pela americana Sandi Morris, pelo seu desportivismo depois de perder a medalha de ouro no salto com vara feminino. Morris foi a primeira a congratular a vencedora Anzhelika Sidorova. A atleta britânica Dina Asher-Smith, que venceu o título de campeã mundial dos 200 metros, é a última da lista depois de ter saudado os seus adversários nas várias provas do duplo hectómetro e de ter ajudado uma atleta que se tinha lesionado.

Os três finalistas serão seleccionados nas próximas semanas pelos adeptos, juntamente com o comité internacional de fair play da IAAF e o vencedor será anunciado na gala da IAAF, a 23 de Novembro, no Mónaco.