Sifan Hassan faz história com duplo título em Doha

Atleta holandesa venceu a final dos 1500m, depois de já ter conquistado a dos 10.000m.

Fotogaleria
LUSA/JEAN-CHRISTOPHE BOTT
Fotogaleria
LUSA/SRDJAN SUKI
Fotogaleria
Reuters/AHMED JADALLAH
Fotogaleria
LUSA/SRDJAN SUKI

Enquanto decorria o concurso do triplo salto feminino dos Mundiais de atletismo, na pista de tartan do Khalifa International Stadium fazia-se história. Sifan Hassan conseguiu a proeza única de juntar o título mundial do 1500m ao dos 10.000m na mesma edição dos campeonatos. Algo que nunca tinha sido feito por um atleta, masculino ou feminino.

Há largos anos a competir pela Holanda, Hassan (que nasceu na Etiópia e se mudou para a Europa com 15 anos) assumiu a frente da corrida no final da primeira volta e não mais olhou para trás. Descolou da concorrência nos derradeiros 400m e disparou em direcção à meta para fechar a prova com a marca de 3m51,95s, a melhor dos Campeonatos do Mundo, deixando a até agora detentora do título, a queniana Faith Kipyegon, a dois segundos, apesar de ter obtido um recorde nacional (3m54,22s).

“Tenho trabalhado muito nos 1500m ao longo deste ano. Pareceu que foi fácil, mas exigiu de mim imenso trabalho”, comentou a vencedora, num final de prova em que aproveitou para desabafar, depois de terem sido levantadas suspeitas de ligações ao escândalo de dopingque envolveu o treinador Alberto Salazar, líder do Nike Oregon Project, no qual se treina holandesa de 26 anos.

“Foi uma semana dura, estava muito zangada e não podia falar com ninguém. Acabei por responder na pista. O trabalho duro que tenho desenvolvido não pode ser manchado por nada”, declarou à BBC.