Nova temporada Fox: mais The Walking Dead e o final de Segurança Nacional e Uma Família Muito Moderna

Apresentação das grelhas para 2019/2020 inclui ainda Genius: Aretha Franklin e o documentário de Leonardo DiCaprio premiado em Sundance, Sea of Shadows.

Foto
As séries que os canais vão estrear este ano são um misto de continuidade e novidade DR

Os canais Fox apresentam esta sexta-feira a sua nova temporada, que trará aos telespectadores, neste final de 2019, mais The Walking Dead, This is Us, Anatomia de Grey e American Horror Story, e, já em 2020, os finais das séries Segurança Nacional e Uma Família Muito Moderna. São valores seguros para os canais que continuam líderes de audiências no seu segmento, mas também haverá novas séries: a adaptação para o século XXI de Guerra dos Mundos, com Gabriel Byrne, a série Genius dedicada a Aretha Franklin ou o documentário de Leonardo DiCaprio premiado em Sundance, Sea of Shadows.

Nos últimos anos, o número de séries emitidas nos canais do grupo Fox (que incluem ainda as chancelas National Geographic e 24Kitchen) não tem parado de aumentar. Em 2016 eram 37, das quais 11 novas produções; em 2018 o número saltava para as 230 séries no ar e 53 em estreia, e este ano volta a haver um salto, a condizer com um mercado mundial alimentado pela profusão de novos serviços e produções: são mais de 300 séries, com o número de estreias a superar a meia centena.

PÚBLICO -
Foto
"Sea of Shadows" DR

Destas últimas, só algumas são estreias absolutas, ou seja títulos acabados de sair nos mercados de origem (sobretudo o americano). A televisão por subscrição e os canais temáticos começaram por concorrer pelas novas séries e pelos títulos mais populares com os generalistas e, depois, com os canais premium, mas agora têm também o streaming a competir pelos fenómenos do momento. “Na última década temos assistido a uma alteração profunda na forma como os conteúdos televisivos são consumidos, distribuídos e promovidos”, resume o general manager dos canais Luís Fernambuco num comunicado em que sublinha a liderança dos canais nos últimos quatro anos, com um share de 5,8% e 15% do total das audiências do universo da televisão por subscrição.

Entre as novidades absolutas estão então 9-1-1: Lone Star (estreia-se em Janeiro 2020 nos EUA e chegará também no próximo ano à Fox Life), Stumptown (estreou-se em Setembro nos EUA e chega em 2020 à Fox Life), Deputy (série com Stephen Dorff ainda em produção) e a co-produção Fox/Canal+ Guerra dos Mundos, que chega já no próximo dia 28, numa actualização da história de H.G. Wells, um bom e velho colapso da civilização que nesta versão ataca Reino Unido, França, militares, académicos, adolescentes ou refugiados. Sobre neXT, que também se estreia em 2020, pouco se sabe – é um thriller com John Slattery (Mad Men) sobre inteligência artificial e segurança.

Mas foram títulos como Anatomia de Grey, que já tem no ar a sua 16.ª temporada na Fox Life e que em 2018 foi a série mais vista em Portugal, que deram os números da liderança aos canais Fox. The Walking Dead, que em 2017 e 2018 foi a mais vista no país, caiu na tabela para a nona mais vista (dados UM/Mediabrands). É um espelho do que aconteceu a nível mundial, com os fãs descontentes  e agora cautelosamente expectantes pela estreia da décima temporada já na próxima segunda-feira, dia 7, na Fox.

O maior grupo de canais temáticos de séries (só tem concorrência próxima no cabo com os canais AXN, da Sony) distribui entre o seu canal principal, a Fox, e os vizinhos Fox Crime, Fox Life ou Fox Comedy os títulos mais sonantes e os procedurals americanos que são garantia de audiência. É essa matemática que faz com que séries com longas e profusas temporadas com pouca serialização como Investigação Criminal Los Angeles e New Orleans (novas temporadas a 14 de Novembro e em 2020, respectivamente) ou Hawai Força Especial (14 de Novembro) convivam na Fox com títulos altamente serializados ou de autor como The Walking Dead e a nona temporada de American Horror Story (14 de Outubro) de Ryan Murphy. É também na Fox que se estreará, em 2020, o último acto de Segurança Nacional. O canal já estreou, na quarta-feira, a série FBI, de Dick Wolf, o dono de franchises como Chicago e Lei & Ordem.

Na Fox Life continuarão os procedurals criminais e dramas em torno dos serviços de saúde como Lei & Ordem: Unidade Especial (21.ª temporada em 2020), 9-1-1 (terceira temporada a 11 de Novembro) ou The Resident (terceira temporada em Dezembro). Ganham, porém, novos vizinhos e, claro, spin offs: Lone Star é o de 9-1-1 e centra-se num polícia de Nova Iorque (Rob Lowe) que chega ao Texas com o filho e se cruza com uma paramédica (Liv Tyler). Outro franchise que se desdobra é o de Chicago, que depois da versão polícia, advogados e bombeiros terá a partir de dia 14 a versão Chicago Med passada, claro, num hospital, em exibição nos EUA já desde 2015. A tendência adaptação de livros de BD continua, agora com Stumptown (2020), com Cobie Smulders (Foi Assim Que Aconteceu, Vingadores) como uma ex-militar tornada detective. Entretanto, a Fox Life já tem no ar a quarta temporada de This is Us e a 16.ª de Anatomia de Grey.

A Fox Comedy vai estrear algures em 2020 a última temporada de Uma Família Muito Moderna, a 11.ª, que já arrancou nos EUA no final de Setembro. Bless This Mess e Perfect Harmony, duas séries ainda a prestar provas nos EUA – a primeira, uma sitcom com Lake Bell e Dax Shepard, estreou-se em Abril e já foi garantida uma segunda temporada; a segunda, uma comédia musical sobre um coro invulgar liderado por Bradley Whitford, estreou-se há um par de semanas na NBC. Ambas chegarão algures em 2020. Também no próximo ano chegará a segunda temporada de Single Parents, criação de Elizabeth Merriweather que sucede a Jess e os Rapazes, mais Family Guy (temporada 19), Black-ish (temporada seis) ou Os Goldberg (sétima). E, na iminência da chegada do serviço de streaming Disney+ ao mercado internacional e depois da compra da Fox pelos estúdios de Mickey, Os Simpsons continuam na grelha para 2020, com a estreia da 31.ª temporada desta histórica série de animação da Fox. Uma aposta para 2020 que terá duração limitada é The Cool Kids, uma série sobre amigos idosos num lar que foi cancelada nos EUA.

PÚBLICO -
Foto
"Bless This Mess" Fox

Já o recheio da Fox Crime compõe-se de mais produção internacional e clássicos policiais. Aí se encaixarão as estreias de Agatha Christie: The Pale Horse ou Agatha Christie: Death Comes as the End, séries centradas em cada um dos romances da escritora de policiais, assim como novos episódios de Vera (Dezembro), Testemunha Silenciosa, Maigret (Dezembro) ou Midsomer Murders (2020). Em estreia absoluta estarão Cardinal, um policial canadiano baseado no livro Quarenta Palavras para Tristeza, de Giles Blunt, ou a francesa L’art du Crime, centrada em crimes relacionados com o tráfico de obras de arte ou património.

PÚBLICO -
Foto
"Stumptown" FOX

No National Geographic, as produções originais destacam-se em duas frentes, ambas para estrear em 2020: depois de Einstein e Picasso, a nova temporada de Genius dedica-se a Aretha Franklin, que será interpretada por Cynthia Erivo. Já Leonardo DiCaprio é o nome de produtor que serve de chamariz ao documentário Sea of Shadows, que recebeu o prémio do público no Festival de Sundance e que, centrado no desaparecimento de um tipo já raro de baleia, mostra a rede de problemas ligados aos cartéis, à máfia chinesa ou à pesca ilegal. O canal terá ainda em estreia em 2020 oito episódios da série Trafficked with Mariana Van Zeller, da autoria da jornalista portuguesa homónima, que relata histórias de contrabando e mercado negro.