Uber lança “passes” mensais para bicicletas Jump em Lisboa

A partir desta terça-feira está disponível uma subscrição mensal para quem utiliza diariamente as bicicletas da Jump. As viagens fora do plano de subscrições vão ficar mais caras: passam de 15 para 20 cêntimos por minuto.

,Bicicleta
Foto
Andreia Carvalho

A partir desta terça-feira quem for utilizador regular das bicicletas eléctricas partilhadas Jump — as vermelhas que andam a circular pela capital e que podem ser estacionadas sem ser em docas — pode aderir a uma subscrição mensal. É uma espécie de passe que custará 24,90 euros por mês e que permite viajar por 15 minutos por dia (Plano Electric), durante todo o mês. Para quem costuma fazer viagens mais longas, há uma subscrição mensal (Plano Electric +) que custa 39,90 euros e permite pedalar 30 minutos por dia. Mas não é a única novidade. O preço das viagens fora dos planos de subscrição também muda: passa de 15 para 20 cêntimos por minuto. 

Com estas subscrições os utilizadores poderão poupar algumas dezenas de euros. Feitas as contas, se se considerar ainda que cada minuto que pedala custa 15 cêntimos e o fizer diariamente por 15 minutos, pagaria por dia 2,25 euros. Multiplicado por 30 dias, esse valor chegaria aos 67,5 euros. Com o plano de subscrição dos 15 minutos, poupará 42,6 euros. No caso de viajar diariamente por mais tempo, a poupança é mais significativa: pedalando 30 minutos por dia durante todo o mês, gastaria 135 euros — o passe dos 30 minutos permite uma poupança de cerca de 95 euros. Com o preço por minuto nos 20 cêntimos, estes números são mais expressivos. 

Para já é um “projecto-piloto”, diz a Uber, empresa que detém as Jump, e que se estreia na Europa a partir de Lisboa — este serviço de subscrição apenas existe em Sacramento e Providence, nos Estados Unidos. “Os lisboetas viajam cada vez mais com a Jump numa base diária. Decidimos criar estes planos de subscrição à medida das necessidades de mobilidade de quem vive, trabalha ou estuda em Lisboa. Queremos contribuir para que mais pessoas utilizem opções de mobilidade partilhada e os transportes públicos na cidade”, refere em comunicado o director-geral da Jump em Portugal, Francisco Vilaça. 

As bicicletas eléctricas partilhadas da Uber começaram a circular por Lisboa no final de Fevereiro. Para viajar com estas bicicletas basta entrar na aplicação da Uber e escolher a opção “Pedalar”. Escolhe-se depois a bicicleta mais próxima e introduz-se um QR Code que desbloqueia o cadeado. Para terminar viagem, basta estacionar dentro da zona que é apresentada no mapa da aplicação e colocar o cadeado.

Actualmente, há 1750 bicicletas pela cidade, disponíveis 24h por dia. O PÚBLICO questionou a empresa sobre o número de viagens diárias feitas na capital, assim como a sua duração, mas não foram revelados números. 

De acordo com a empresa, será enviado um email aos utilizadores a convidar para subscrever o serviço e a fazer parte do projecto-piloto. No entanto, “a disponibilidade de subscrições é limitada”, nesta fase, até 15% dos utilizadores. Quem o quiser fazer tem até 30 de Novembro. O projecto-piloto tem a duração de quatro meses, até 31 de Janeiro de 2020, e a subscrição será renovada mensalmente de forma automática.

Caso exceda o tempo de utilização da sua subscrição diária, será cobrada a tarifa normal para os minutos que pedalar a mais. Além disso, os minutos diários não são cumulativos, ou seja, não é possível andar dez minutos num dia e 20 no seguinte sem ser cobrado o valor excedente. Terminado este período de teste, a intenção da empresa é continuar com o plano de subscrições, mas tal será avaliado consoante a adesão. 

Sugerir correcção