Pausa nas obras adia abertura da ponte suspensa de Arouca para 2020

Ponte terá 516 metros de comprimento e ficará suspensa 175 metros acima do solo. Empreitada terá o custo de 1,8 milhões.

A Câmara de Arouca revelou esta terça-feira que aquela que é apontada como a maior ponte suspensa do mundo só deverá ser inaugurada na Primavera de 2020, porque as obras estão paradas para acertos na dimensão dos respectivos cabos.

Denominada “516 Arouca”, essa infra-estrutura do distrito de Aveiro visa complementar a oferta turística junto aos Passadiços do Paiva e chegou a ter a sua abertura anunciada para o corrente mês, mas a empreitada de 1,8 milhões de euros está agora com os trabalhos parados para ajustes relacionados com a escolha de materiais. “Estes acertos são situações habituais em obras desta dimensão e complexidade, e o que está em causa não é nenhuma alteração ao projecto, mas sim uma correcção ao nível da dimensão dos cabos”, declara à Lusa a presidente da autarquia liderada pelo PS, Margarida Belém.

Disposta sobre os rápidos do rio, numa zona de escarpas conhecida como a Garganta do Paiva, a ponte com 516 metros de vão ficará suspensa 175 acima do solo, exibindo um tabuleiro em gradil metálico composto por 127 tramos de 500 quilos cada, sempre com guarda lateral.

A presidente da câmara garante que “não há razões para qualquer preocupação quanto à segurança da ponte”, porque, além de esse aspecto constituir “prioridade máxima” na execução da obra, a inauguração será precedida por vários testes de desempenho — inclusive os relativos ao efeito do vento e da afluência máxima de utilizadores na estabilidade desse tabuleiro pedonal.

Margarida Belém realça, aliás, que os actuais acertos às especificações dos materiais utilizados na empreitada “são comuns em obras desta dimensão e complexidade” e ainda demoram o seu tempo, não só por se estar a aproximar o período de Inverno, que dificulta o trabalho, mas também porque toda a colocação dos cabos de aço é de carácter “manual” e só pode ser executada por técnicos “alpinistas” especializados em acesso por cordas.

Para a presidente da câmara, a ponte “516 Arouca” é “um projecto belíssimo” e este adiamento só cria “mais expectativa quanto ao impacto da paisagem que, daqui a poucos meses, se poderá apreciar” na nova ligação pedonal entre as freguesias de Alvarenga e Canelas.