Ípsilon

Cinema

Nicholson, Ledger, Phoenix: cada Joker no seu tempo

Gangster, terrorista ou comediante, o Joker é uma tela em branco vinda dos comics em que o cinema projecta o seu filme. No corpo de três actores, foi ostentação circense nos anos 1980, anarquia e medo no pós-11 de Setembro e, agora, no filme de Todd Philips, esta semana nas salas portuguesas, é um efeito secundário da falta de empatia do 1% em 2019. A vida é uma grande piada e o mundo é uma palhaçada – só muda a punchline.