Expansão da China em Portugal entrou na fase da “qualidade”

Depois de colocarem bandeiras em sectores chave como a banca e a energia, e depois da proliferação de lojas e casas de chineses, o Estado chinês fechou parcialmente a torneira do investimento. E deu-se início à era do investimento com critério, com as infra-estruturas na mira de Pequim.

Foto
rui gaudencio

Os chineses estão a comprar menos casas em Portugal, dentro e fora do programa que garante autorização de residência para actividades de investimento (ARI), mais conhecido por “visto gold”, a grande porta de entrada do movimento moderno de expansão chinesa em Portugal. E o número das típicas lojas chinesas também está a regredir, com algumas a mudanças de ramo, nomeadamente para a restauração.