E se fosse possível prever o risco de uma infecção hospitalar? Já é

Investigadores da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa desenvolveram um sistema informático que poderia ter sido capaz de prever quatro dias antes o surto de legionella de Vila Franca de Xira.

Foto
Marco Duarte

Um grupo de investigadores da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa desenvolveu um sistema informático capaz de prever o risco de um doente desenvolver uma infecção por uma bactéria multirresistente a antibióticos e ajudar os médicos a escolher o melhor tratamento possível para aquele caso. O projecto Resistir, que teve início em 2016 e um investimento de cerca de 950 mil euros, alerta também para possíveis surtos de doenças que possam estar a existir na comunidade.