E se fosse possível prever o risco de uma infecção hospitalar? Já é

Investigadores da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa desenvolveram um sistema informático que poderia ter sido capaz de prever quatro dias antes o surto de legionella de Vila Franca de Xira.

Hospital
Foto
Marco Duarte

Um grupo de investigadores da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa desenvolveu um sistema informático capaz de prever o risco de um doente desenvolver uma infecção por uma bactéria multirresistente a antibióticos e ajudar os médicos a escolher o melhor tratamento possível para aquele caso. O projecto Resistir, que teve início em 2016 e um investimento de cerca de 950 mil euros, alerta também para possíveis surtos de doenças que possam estar a existir na comunidade.