Assembleia Geral do Benfica termina com ânimos exaltados

O relatório e contas do clube teve uma aprovação de 78,3% mas reunião no Estádio da Luz acabou com debate aceso entre o presidente Luís Filipe Vieira por críticas aos erros do passado do clube quando o presidente dos “encarnados” tem os “olhos postos no futuro”.

,SL Benfica
Fotogaleria
LUSA/Miguel A. Lopes
,Estádio Sport Lisboa e Benfica
Fotogaleria
LUSA/Miguel A. Lopes

O relatório de gestão e contas do Benfica foi aprovado por maioria durante a noite desta sexta-feira, numa Assembleia Geral no Estádio da Luz, mas a reunião acabou com uma discussão entre o presidente Luís Filipe Vieira e alguns sócios, depois de críticas sobre a falta de transparência do clube.

Ao todo, 728 sócios reuniram-se no Pavilhão Fidelidade do Estádio da Luz com o objectivo de votar e apreciar o relatório de gestão e as contas referente à temporada de 2018/2019, que contempla um resultado positivo de 29,4 milhões de euros. O valor representa uma melhoria de 42,8% face ao período homólogo do ano passado, em que os “encarnados” registaram um resultado líquido de 20,5 milhões de euros.

Apesar das contas terem sido aprovadas por uma maioria de 78,3% – numa Assembleia Geral descrita pelo presidente do Benfica como “histórica” –, os ânimos exaltaram-se durante os discursos que se prolongaram até à madrugada de sábado. Imagens partilhadas no site da TVI mostram o presidente Luís Filipe Vieira a gritar com vários sócios na plateia. Em causa estavam críticas sobre a falta de transparência do clube, nomeadamente ligações com o agente de futebol Jorge Mendes que está a ser investigado por autoridades tributárias em cinco países. Os comentários surgiram depois de um discurso em que Luís Filipe Vieira tinha salientado que o clube tinha “os olhos postos no futuro” e não queria “voltar a falar do passado, sobretudo dos erros do passado”.

Durante o discurso de apresentação, o presidente Luís Filipe Vieira tinha-se mostrado satisfeito com os resultados, salientando a “recuperação de capitais próprios positivos no clube e SAD” pela primeira vez desde 1997.

“A Assembleia-Geral de hoje do nosso Benfica é histórica. Histórica, porque hoje celebramos finalmente a recuperação patrimonial do nosso clube”, começou por dizer Vieira, no discurso dirigido aos sócios benfiquistas. “Os proveitos do Grupo SLB ultrapassaram os 300 milhões de euros e, só nestes últimos quatro anos, pagámos 250 milhões de euros de dívida aos bancos, tornando essas dívidas bancárias residuais, o que nos torna totalmente livres e independentes na tomada de decisões”, reforçou.

Os 728 sócios presentes no pavilhão do Estádio da Luz aprovaram as contas por maioria, com 78,34% de votos a favor, 13,94% contra e 7,72% de abstenções.

Luís Filipe Vieira revelou ainda que os “encarnados” vão “proceder à modernização de diversas áreas e equipamentos” do Estádio da Luz destacando a “substituição dos ecrãs gigantes” do recinto.

No que diz respeito à equipa principal de futebol, o presidente do Benfica enalteceu a goleada ao Sporting (5-0), que permitiu a conquista da Supertaça Cândido de Oliveira, ressalvando, contudo, “que importa é como acaba [a época] e não como começa”.

“Está tudo em aberto”, insistiu o presidente. “Temos um plantel que, estou certo, estará à altura das exigências. O passado já nos deu muitos exemplos de avaliações precipitadas sobre contratações, que o tempo veio a dar razão à qualidade que tínhamos visto nos jogadores.”