Opinião

A esperteza do PS e a ultrapassagem do 1% para a cultura

A nossa proposta passa pela estruturação de um plano para a requalificação das políticas culturais locais (de proximidade), o qual seria implementado entre o governo e os municípios aderentes.

No âmbito das propostas eleitorais no domínio da cultura, estas eleições legislativas ficam marcadas por uma questão percentual inédita. Até há bem pouco tempo, uma das principais exigências dos agentes culturais situava-se na luta do 1% para a cultura, reafirmando de forma bastante persistente a exigência de se afectar 1% do Orçamento do Estado ao Ministério da Cultura, visando alcançar gradualmente 1% do PIB para a cultura.