Só foram a Istambul 21 dos 66 convidados de empresa de informática

Dezassete dos 33 municípios onde foram recebidos convites da ANO não tiveram qualquer autarca ou técnico no evento de 2015.

Foto
ADRIANO MIRANDA / PUBLICO

Os autos do inquérito do Departamento de investigação e Acção Penal de Coimbra mostram uma realidade diferente daquela que se depreende do despacho de acusação emitido há duas semanas contra o presidente e o vice-presidente da Câmara de Penamacor. Uma das coisas que se concluem da consulta do processo é que o convite do fornecedor de software ANO dirigido a 66 representantes de 33 municípios para participarem numa viagem de quatro dias a Istambul, com todas as despesas pagas, apenas foi aceite por 21 elementos de 16 câmaras. Destes 21, oito eram autarcas e 13 eram dirigentes ou técnicos dos serviços camarários.

No despacho, que o PÚBLICO revelou nesta terça-feira, os dois autarcas de Penamacor são acusados pelo crime de recebimento de vantagem indevida, por terem aceitado o convite, e é requerida a perda dos respectivos mandatos autárquicos. No documento, o Ministério Público (MP) identifica mais 14 municípios - Amarante, Amares, Baião, Cabeceiras de Basto, Ferreira do Alentejo, Leiria, Mêda, Mondim de Basto, Março de Canaveses, Nordeste, Penamacor, Pinhel, Póvoa do Lanhoso, Santa Maria da Feira, Vila Nova de Famalicão e Vizela - que teriam tido “responsáveis políticos” na viagem oferecida pela ANO. Por esse motivo, o MP mandou extrair certidões dos autos para que “os factos referentes a cada um daqueles municípios” fossem investigados em processos autónomos, o que levou o PÚBLICO a noticiar erradamente que três dezenas de autarcas estavam a ser investigados.

A listagem de participantes no evento que consta do processo, mas que não indica as funções de cada um deles, associada à pesquisa feita pelo PÚBLICO, permite perceber que, afinal, os participantes na viagem não eram só autarcas, mas também dirigentes e técnicos daqueles municípios, sendo que alguns deles tiveram apenas um representante, enquanto outros tiveram dois e outros três – casos de Famalicão e Vizela.

Em concreto, segundo a lista entregue ao MP pela ANO aceitaram o convite o então presidente da Câmara de Amares, Manuel Moreira; o vice-presidente da Mêda, Paulo Esteves; o vice-presidente de Nordeste, Milton Mendonça; o presidente e o vice-presidente de Penamacor, António Beites e Manuel Robalo; o presidente de Pinhel, Rui Ventura; o vice-presidente de Famalicão, Ricardo Mendes e a vereadora Dora Gaspar, de Vizela.

No caso de Baião, esteve presente um técnico superior de informática, Paulo Pereira, que tem o mesmo nome do então vice-presidente da câmara e actual presidente, Paulo Pereira.

Os restantes participantes provenientes das autarquias em questão eram todos dirigentes ou técnicos.

Na lista de participantes na iniciativa da ANO - denominado “Encontro de Utilizadores” e considerado pelo MP como um evento “predominantemente lúdico e recreativo” – constava também um “artista convidado”, de nome Luís Carlos Vaz dos Reis Gomes Tavares.