Ensaio

Sinid, o lenhador

Sinid que nem é lavrador, poeta, ou rei, racha a lenha que o mar enfurecido desengoliu na praia.

Foto
Álvaro Domingues

Havia uns búzios naquela terra que não tinha mar, e o búzio causava-me a mesma emoção de rumor do vento, como se fosse um tempo que nos está sussurrando qualquer coisa que não somos capazes de interpretar.” (1)