No Teatro LU.CA as eleições são para as crianças

“Estamos em véspera de eleições e julgo que é também nossa função, enquanto instituição cultural pública, trabalhar uma temática com tanto impacto social e que envolve todo o país”, considera Susana Menezes, directora do LU.CA.

Teatro Maria Matos
Foto
Susana Menezes, directora do LU.CA Rui Gaudencio

O Ciclo Eleições, organizado pelo LU.CA – Teatro Luís de Camões, começa este sábado, em Lisboa. A programação do LU.CA é exclusivamente dedicada a crianças e jovens. Segundo Susana Menezes, directora do teatro, “estes ciclos podem ajudar a responder ou até a levantar novas questões sobre uma matéria.” “São uma oportunidade para falar e muitas vezes esclarecer, usando formatos pensados para chegarem ao nosso público, as crianças e os jovens”, acrescentou a directora.

“Quando penso num ciclo, penso no que pode ser urgente conversar e pensar num determinado momento. São normalmente assuntos que se cruzam com a vida dos adultos e por isso, inevitavelmente, cruzam-se com a vida das crianças, em casa, na rua, na escola, na televisão”, explica Susana Menezes.

Da programação do evento fazem parte um concerto pré-eleitoral, um baile de discos pedidos, uma conferência sobre democracia, uma oficina e uma sessão de leituras encenadas. A organização procurou fazer um programa “que não privilegia, não ataca, não defende nem escolhe, mas explica que todos são importantes para o futuro e para o presente de todos”, afirma a directora. “Pode ser que deste modo sejam as crianças a incentivar os adultos a votar.”

Susana Menezes destaca a oficina “É bom mandar?”, dinamizada por Inês Barahona e Catarina Requeijo. Nesta iniciativa, “as crianças vão poder viver e interagir com diferentes modelos de governação como a ditadura, a democracia ou a monarquia” e perceber como funciona cada sistema. As sessões decorrem nos dias 25, 26 e 27 de Setembro para escolas e nos dias 28 e 29 para famílias. O custo é de dois euros e a oficina destina-se a crianças com mais de oito anos.

A conferência sobre democracia, com a presença de Rui Tavares, historiador e político, é outra das actividades que Susana Menezes destaca. “Aqui reproduzimos o formato de conferência, pensada de modo a que as crianças de dez anos possam compreender o que está a ser apresentado. Há um orador, canetas e papéis e um microfone volante porque no final é aberto o debate e as perguntas são sempre muitas”, explica a directora do LU.CA. O conceito de democracia representativa, por exemplo, é um dos temas que vai ser desenvolvido. As sessões decorrem no dia 27 para escolas e no dia 28 para famílias, com o custo de dois euros.

O concerto pré-eleitoral abre o Ciclo Eleições às 18 horas de sábado. Francisca Cortesão, Isabel Minhós e Sérgio Nascimento são os responsáveis por este concerto que se dirige a crianças com mais de seis anos. O custo é de três euros. Segue-se o baile de discos pedidos (dois euros) no domingo, dia 22, para crianças com mais de três anos e também para os pais. Completam a programação as sessões de leituras encenadas para crianças com mais de três anos, que acontecem nos dias 3, 4 e 6 de Outubro. O custo é de um euro e a orientação está a cargo de Miguel Fragata.

Para 2020, a direcção do LU.CA prevê organizar mais ciclos sobre outros assuntos, “um sobre sustentabilidade e outro sobre as novas e as velhas famílias”, conta Susana Menezes. “É importante continuar a explorar a função social que um teatro para crianças pode ter.”

Texto editado por Sónia Sapage