Em nome das aves, cientista arrasa Estudo de Impacto Ambiental do Montijo

Investigador entregou, por iniciativa própria, parecer que denuncia um “ataque gritante” à conservação da avifauna em áreas protegidas e que terá consequências que vão muito além do Tejo.

Foto
Estuário do Tejo Enric Vives-Rubio

Deficiente, desactualizado e, pior do que isso, minado de falhas e erros graves –esta é a conclusão de um cientista da Universidade de Aveiro sobre o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) do novo aeroporto do Montijo. José Alves, investigador especializado no estudo das aves que já publicou vários artigos científicos em revistas prestigiadas como a Nature ou a Science, entregou no passado dia 18, quase no final do prazo de consulta pública, um detalhado e demolidor parecer sobre o projecto que acredita que deve ser inviabilizado. Segundo conclui, o EIA não faz uma avaliação actual nem correcta dos possíveis efeitos deste projecto nas aves que vivem (ou apenas passam) nas áreas protegidas (Reserva Natural do Estuário do Tejo e Zona de Protecção Especial do Estuário do Tejo).