Ensino básico perdeu mais de 187 mil alunos em dez anos

Quebras na natalidade, aumento da emigração e diminuição da imigração ajudam a explicar fortíssima quebra no número de alunos. Na soma dos diferentes níveis de ensino, e como houve um aumento dos alunos no ensino secundário, a perda global é atenuada.

O ensino básico está a ser o masi afectado pela quebra no número de alunos
Foto
O ensino básico está a ser o masi afectado pela quebra no número de alunos Nelson Garrido (arquivo)

Em dez anos, as escolas portuguesas perderam 187.176 alunos do ensino básico, do 1.º ao 3.º ciclo de escolaridade. São os efeitos do “buraco demográfico” que ganhou profundidade nos anos de crise social e económica, apontam os especialistas, numa leitura aos dados contidos no mais recente relatório sobre o perfil do aluno publicado pela Direcção-Geral de Estatísticas da Educação e Ciência (DGEEC). Sem surpresas, o pré-escolar e o básico foram os níveis de ensino mais afectados pela diminuição do número de alunos, numa perda que, em termos globais, surge mitigada pelos ganhos registados no secundário e pela curta oscilação no acesso às universidades.