O evento promete mais de oito horas de música em Marco de Canaveses
Foto
O evento promete mais de oito horas de música em Marco de Canaveses João Pereira

Marco de Canaveses despede-se do Verão com “Concertos que nunca existiram”

No sábado, Marco de Canaveses vai dar música durante oito horas, à boleia de actuações de Solar Corona, Savage Ohms, ASIG, entre outros. Tudo para dinamizar a cultura local. A entrada é gratuita.

Deixaram Marco de Canaveses há uns anos para estudar ou trabalhar. Voltaram depois com vontade de dinamizar a cultura do concelho. Para isso, este grupo de amigos criou a associação Rústico que, pelo segundo ano consecutivo, leva às freguesias de Alpendorada, Várzea e Torrão “Concertos que nunca existiram”. No sábado, 21 de Setembro, diz-se assim adeus ao Verão com uma série de actuações musicais.

“Após o evento protótipo do ano passado”, os organizadores estão prontos para “agitar a comunidade” com mais de oito horas de música, como revelam em comunicado enviado à imprensa. “O grande objectivo deste festival que pretende ser itinerante é trazer a Marco de Canaveses quer pessoas de fora, quer os marcuenses”, afiança Luís Sobreiro, em declarações ao P3. 

PÚBLICO -
Foto
No ano passado estiveram presentes no evento cerca de 300 pessoas João Pereira

Assim, contrariamente ao que aconteceu na edição passada, a maratona de concertos arranca logo de manhã, na praia de Bitetos, com um concerto acústico surpresa que vai ser acontecer durante um passeio de barcos e caiaques entre os rios Paiva e Douro. O destino é a Ilha dos Amores, um ilhéu onde é possível observar três distritos em simultâneo: Porto, Viseu e Aveiro. Da parte da tarde, os concertos regressam à Quinta da Senhora da Guia.

De entrada gratuita, o evento, que conta com o apoio da editora/promotora Lovers & Lollypops, distribui-se por dois palcos. Para além de artistas locais, como o rapper ASIG e a banda Heavy Ocean, vão actuar Julius Gabriel, Savage Ohms, o grupo barcelense Solar Corona, Calcutá e alguns DJ. Será ainda possível visitar exposições, assistir a performances com artistas convidados e visitar uma extensão da galeria Ocupa.

PÚBLICO -
Foto
Este ano, o evento começa de manhã, na praia de Bitetos, com um concerto acústico surpresa João Pereira

Uma vez que “no ano passado estiveram presentes cerca de 300 pessoas” e tendo em conta que “o feedback foi muito bom”, as expectativas estão “altas”. Na verdade, o que a organização pretende é que “os visitantes se sintam bem”, até porque “os concertos vão decorrer num sítio que deslumbra quem não conhece e, quem conhece, sente-se lá bem”, frisa Luís Sobreiro.