Rui Rio só faz dois jantares-comício e aposta em contactos com população

Campanha do PSD para as legislativas termina em Lisboa e só terá duas arruadas tradicionais

O líder do PSD irá privilegiar contactos com a população
Foto
O líder do PSD irá privilegiar contactos com a população Rui Gaudêncio

Nos 12 dias de campanha oficial do PSD para as legislativas, Rui Rio só estará em dois jantares-comício tradicionais e irá privilegiar os contactos com a população na rua ou em sessões de perguntas e respostas. A campanha assenta num “modelo de transição” entre o “tradicional e a inovação”, nas palavras do director nacional, José Silvano.

Os comícios tradicionais ao ar livre só acontecerão em dois momentos: nos últimos dias de campanha no Porto e em Lisboa (onde termina na sexta-feira, dia 4 de Outubro). É para esses dias que estão previstas as únicas arruadas (Santa Catarina e Chiado). O líder do PSD terá contactos com a população mas noutros contextos: visitas a mercados e percursos em ruas com comércio

Em cinco noites, o PSD eliminou os jantares e optou por um modelo de sessões de perguntas aberto a militantes e simpatizantes (designadas talks) em que o líder estará disponível para responder. As maiores sessões, onde se esperam mais de 300 pessoas, serão em Leiria e Aveiro. A excepção a este modelo são dois jantares-comício, em Viseu e Viana do Castelo embora com pequena dimensão, segundo a estrutura de campanha.

Ao almoço, Rui Rio privilegia encontros temáticos com agricultores, empresários, por exemplo, nos quais estará disponível para responder a perguntas.

Quanto a presenças de figuras do PSD mais conhecidas, José Silvano afirmou que todos os militantes podem ser convidados pelas estruturas locais, mas que podem aparecer nas acções por sua livre vontade. O director nacional de campanha disse desconhecer se o líder do PSD irá fazer convites a ex-líderes ou a outras figuras do partido.

A caravana arranca na próxima terça-feira, dia 24 (o que é generalizado a todas as forças políticas dada a marcação de um debate com todos os líderes políticos com assento parlamentar na véspera) e começa pelo sul, percorrendo todos os distritos do continente, à excepção de Portalegre. Ao longo desses dias, o PSD terá um autocarro a acompanhar o líder do PSD na volta, que transportará 20 elementos da JSD, mas não será o meio de transporte de Rui Rio.

A campanha do PSD mostra ter preocupação com a sustentabilidade ambiental: o papel usado é reciclado, as canetas foram trocadas por lápis. Os sociais-democratas poupam ainda nos cartazes: os que estão afixados (com o líder do partido e o cabeça de lista do respectivo círculo) já são os últimos da campanha e os infomails serão todos entregues até ao início da campanha oficial. Não é só o último dia que Rui Rio termina em Lisboa, a noite eleitoral de domingo também será acompanha pela direcção do PSD na capital.