Penetração da TV por subscrição atinge 86% das famílias em Portugal

Cerca de 86% das famílias em Portugal dispunham do serviço de televisão por subscrição no final do primeiro semestre deste ano, mais 1,7 pontos percentuais do que mesmo período de 2018, segundo dados do regulador das comunicações.

Foto
Nuno Ferreira Santos

De acordo com um relatório da Autoridade Nacional de Comunicações (Anacom), no final de Junho o número de assinantes do serviço de TV por subscrição atingiu cerca de quatro milhões, mais 132 mil (+3,4%) do que no mesmo período do ano anterior.

“O crescimento do serviço deveu-se às ofertas suportadas em fibra ótica (FTTH), que registaram mais 298 mil assinantes em relação ao primeiro semestre de 2018 (+20,2%)”, refere o regulador.

A fibra ótica continuou, aliás, a ser a principal forma de acesso ao serviço de televisão por subscrição, (com 44,4% do total de assinantes), seguida da TV por cabo (33,2%), do DTH (12,0%) e do ADSL (10,4%).

No que se refere às quotas dos vários prestadores, o grupo Nos deteve a quota de assinantes mais elevada (40,5%), seguindo-se a Meo, a Vodafone e a Nowo, com quotas de 39,6%, 15,8% e 4,0%, respectivamente.

A Meo e a Vodafone foram os prestadores que, em termos líquidos, mais assinantes captaram face ao primeiro semestre de 2018, tendo as suas quotas aumentado 0,7 e 1,1 pontos percentuais, respectivamente.

Em sentido inverso, as quotas do grupo Nos e da Nowo diminuíram (-1,4 e -0,4 pontos percentuais, respectivamente).

Ainda segundo o relatório da Anacom, o nível de concentração, medido pelo índice Herfindahl-Hirschman, apesar de elevado, “diminuiu ligeiramente” face ao mesmo período do ano anterior.

Sugerir correcção