O último plano de Draghi para reanimar a economia

Taxas de juro em território ainda mais negativo, promessas de que não irão subir por muito tempo e regresso do programa de compra de dívidas foram as armas escolhidas pelo BCE para lançar estímulos à zona euro.

Foto
LUSA/RONALD WITTEK

Em vez de uma só medida muito forte, o Banco Central Europeu decidiu apostar, naquele que será o último plano da era Draghi, numa série de medidas de dimensão relativamente reduzida e que em conjunto vão tentar reanimar a economia europeia e trazer a taxa de inflação para valores próximos de 2%.