Cigarros electrónicos podem ser banidos nos Estados Unidos

Administração Trump reconhece problemas de saúde relacionados com o produto e estuda maneiras de restringir vendas.

Foto
Enric Vives-Rubio / ARQUIVO

A Administração Trump coloca a hipótese de banir cigarros electrónicos com sabores do mercado norte-americano, depois de centenas de pessoas terem apresentado problemas de saúde que podem estar directamente relacionados com este tipo de produto.

Citado pelo New York Times, o Presidente norte-americano admitiu que existia um problema com os cigarros electrónicos no país, concordando que “era preciso fazer qualquer coisa em relação a isso”.

Numa reunião na Sala Oval com o responsável pela agência federal reguladora Food and Drug Administration (FDA), Ned Sharpless, e o secretário de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos, Alex M. Azar II, ficou decidido que a FDA iria traçar um plano nas próximas semanas para remover grande parte dos cigarros electrónicos com sabores do mercado.

Foram identificadas cinco mortes — num total de 450 casos de doenças respiratórias graves — suspeitas de estarem relacionadas com este tipo de cigarros. O estado do Michigan foi o primeiro a proibir a venda de cigarros electrónicos. O mayor de Nova Iorque, Bill de Blasio, afirmou nas redes sociais que “a indústria dos cigarros electrónicos se está a transformar na indústria do tabaco”.

Não são conhecidos detalhes das medidas que irão ser tomadas pela FDA, mas a estratégia pode passar pela proibição dos cigarros electrónicos com sabor a mentol, os mais populares nesta indústria.